lembrancinha-mãe

lembrancinha-mãe

segunda-feira, 6 de abril de 2009

इन्डियो

INDÍO
Periodo: Abril
Duração: 2 semanas
OBJETIVOS
Conhecer a historia dos indios
Conhecer os habitos e costumes indigenas
Conhecer a influencia indigena na nossa vida
Aprender a respeitar os indios
Desenvolver a linguagem e raciocinio
Desenvolver a criatividade e a imaginação
DESENVOLVIMENTO

Musicas
poesias
Experiencias
Pesquisas
Artes
Produção de texto coletivo e individual
Receitas
Atividades ( xerocadas , pasadas na lousa , impressas)
Confecção de fantasias e adereços indigenas
CULMINÂNCIA

Exposição de trabalhos ( ARTES E PRODUÇÃO DE TEXTOS )
Alunos fantasiados de indio .....

SUGESTÃO DE ATIVIDADE

MONTAGEM DO INDIO

Sortear um aluno ;
Deitá-lo numa folha de papel pardo , fazer o contorno do aluno ;
Pedir para o aluno levantar ;
A turma ira trabalhar dentro do contorno ,fazendo olhos, boca, nariz;
utilizar papéis coloridos ,tecidos , linhas, canetinhas , lapis de cor , giz de cera e o que mais desejar;
Depois do indio pronto , recorte envolta e o coloque em um painel
Pedir para os alunos escolher um nome para o indio ;
Registrar em um ficha , seu nome , sua tribo ,seus costumes .Com a turma e expor junto como indio .....
ESPERO QUE GOSTEM E USEM MUITOOOOOO!!!!!!!!!


........................................BJOS ..................................................

MonteiroLobato

Projeto Monteiro Lobato
NOVAS AVENTURAS

Paródia: Sitio do Pica-pau amarelo
( GILBERTO GIL)


CHEGARAM LIVROS NA ESCOLA
SÃO LIVRINHOS DE HISTORIA
HISTORINHA MUITO BELA

VAMOS Á BIBLIOTECA
VAMOS Á BIBLIOTECA

A PROFESSORA ME INDICOU
E UM LIVRO ME EMPOLGOU
DE UMA TURMA MUITO ESPERTA

AVENTURAS DE UMA BONECA
AVENTURAS DE UMA BONECA

PARA O SITIO ME MUDEI
AVENTURAS ENCONTREI
ESTOU CONHECENDO
UM MUNDO MAGICO

VIVA MONTEIRO LOBATO !
VIVA MONTEIRO LOBATO !


AUTORES : ALUNOS DO 3º ANO A
E.M. SÃO LOURENÇO
Postado por Clara Libe - Carla lima às Terça-feira, Março 31, 2009 0 comentários
Reações:



SACI

Moleque levado

das historias da vovó

De carapuça vermelha

E cachimbo de barro

Que pulava e saltava

Com uma perna só....


Postado por Clara Libe - Carla lima às Terça-feira, Março 31, 2009 0 comentários
Reações:


MONTEIRO LOBATO !!!


Segunda-feira, 30 de Março de 2009

AVALIAÇÕES!!!!!!!!!

A PÍLULA FALANTE
( Monteiro Lobato)

Estavam no sítio de Dona Benta outra vez. Narizinho correu para casa. Assim que a viu entrar, Dona Benta foi dizendo:
- Onde se viu uma menina do seu tamanho andar com uma boneca só de fraldas?
- Culpa dela, Dona Benta ! Narizinho tirou minha saia para vestir o sapão rajado – disse Emília falando pela primeira vez depois que chegara ao sítio.
Tamanho susto levou Dona Benta, que por um triz não caiu de sua cadeira. De olhos arregaladíssimos, gritou para a cozinha:
- Corra, Nastácia! Venha ver este fenômeno...
A negra apareceu na sala, enxugando as mãos no avental.
- Que é, sinhá? – perguntou.
- A boneca de Narizinho está falando !...
A boa negra deu uma risada gostosa.
- Impossível, sinhá! Isso é coisa que nunca se viu. Narizinho está mangando com você.
- Mangando o seu nariz ! – gritou Emília furiosa. – Falo, sim, e hei de falar. Eu não falava porque era muda, mas o doutor Cara de Coruja me deu uma bolinha de barriga de sapo e eu engoli e fiquei falando e hei de falar a vida inteira, sabe?
A negra abriu a maior boca do mundo.
- E fala mesmo, sinhá ! ... – Exclamou no auge do assombro. - Fala que nem gente ! Credo ! O mundo está perdido ...
Trecho do livro Reinações de Narizinho.
Editora Brasiliense

Compreensão e Interpretação
1) Retire do texto:
a) o nome do texto:________________________________________________
b) o nome do autor:________________________________________________
c) o nome do livro de onde foi extraído esse texto:________________________
______________________________________________________________
2) Quem é quem no texto? Escreva os nomes:
a) da boneca:____________________ b) da negra:_______________________
c) da avó:_______________________ d) da menina:_____________________
3) Responda:
a) Em que local se passa a história?___________________________________
b) Como Emília estava vestida? Por que estava assim?____________________
_______________________________________________________________
c) Por que Dona Benta levou um susto?________________________________
_______________________________________________________________
4) Ligue as personagens as suas ações.
Narizinho Deu uma risada gostosa.
Emília Brinca de boneca.
Nastácia Ficou de olhos arregalados.
Dona Benta Gritou furiosa.

5) Reescreva as frases, trocando as palavras sublinhadas por seus sinônimos. Se necessário use o dicionário:
zombando de - enraivecida - cheio de listras
a) A saia foi usada no sapo rajado.
_____________________________________________________________
b) Narizinho está mangando com você.
_____________________________________________________________
c) Emilia gritou furiosa.
_____________________________________________________________

6) O que significa fenômeno? _________________________________________
_______________________________________________________________

7) Copie do texto:
a) Duas palavras no diminutivo:______________________________________
b) Duas palavras com rr :___________________________________________
c) Duas palavras com ss :__________________________________________
d) Uma palavra que começa com es :_________________________________
e) Uma palavra que começa com ex :_________________________________

8) Complete com s ou x, separe as silabas e classifique as palavras quanto ao número de sílabas (monossílabas, dissílabas, trissílabas ou polissílabas).
a) te__to _______________________________________________________
b) te__te _______________________________________________________
c) e__perto _____________________________________________________
d) e__pulsão ____________________________________________________
e) e__clamação __________________________________________________
f) se__ta _______________________________________________________
g) ce__ta _______________________________________________________

8) Complete com mas ou mais:
a) Eu imaginava Emília ___________ falante.
b) Dois __________ dois são quatro.
c) Quero passear __________ não posso.
d) Ela é __________serelepe, __________ não faz mal a ninguém.

9) Invente frases com estas palavras:
mas - mais

a)_______________________________________________________________
_________________________________________________________________
b)_______________________________________________________________
_________________________________________________________________
10) Escreva o masculino das palavras abaixo:
a) mulher_______________ b) atriz ___________ c) heroína _______________
d) égua ________________ e) rainha__________ f) fêmea _________________
g) cadela_______________ h) nora____________ i) madrasta ______________
Postado por Clara Libe - Carla lima às Segunda-feira, Março 30, 2009 0 comentários
Reações:

18 - DE ABRIL DIA NACIONAL DO LIVRO INFANTIL!!!!


Postado por Clara Libe - Carla lima às Segunda-feira, Março 30, 2009 0 comentários
Reações:

PROJETINHO MONTEIRO LOBATO!!!!


Postado por Clara Libe - Carla lima às Segunda-feira, Março 30, 2009 0 comentários
Reações:

PROJETINHO MONTEIRO LOBATO!!!!

MONTEIRO LOBATO
José Bento Renato Monteiro Lobato (Taubaté, 18 de abril de 1882 — São Paulo, 4 de julho[1] de 1948) foi um dos mais influentes escritores brasileiros do século XX. Foi o "precursor" da literatura infantil brasileira e ficou popularmente conhecido pelo conjunto educativo, bem como divertido, de sua obra de livros infantis, o que seria aproximadamente metade da sua produção literária. A outra metade, consistindo de inúmeros e deliciosos contos (geralmente sobre temas brasileiros), artigos, críticas, prefácios, um livro sobre a importância do petróleo e do ferro e um único romance, O Presidente Negro, que não alcançou a mesma popularidade que suas obras para crianças.
Livros infantis

A maioria de seus livros infantis se passavam no Sítio do Picapau Amarelo, um sítio no interior do Brasil, tendo como uma das personagens a senhora dona da fazenda Dona Benta, seus netos Narizinho e Pedrinho e a empregada Tia Nastácia. Esses personagens foram complementados por entidades criadas ou animadas pela imaginação das crianças na história: a boneca irreverente Emília e o aristocrático boneco de sabugo de milho Visconde de Sabugosa, a vaca Mocha, o burro Conselheiro, o porco Rabicó e o rinoceronte Quindim.
No entanto, as aventuras na maioria se passam em outros lugares: ou num mundo de fantasia inventados pelas crianças, ou em histórias contadas por Dona Benta no começo da noite. Esses três universos são interligados para a histórias e lendas contadas pela avó naturalmente se tornarem cenário para o faz-de-conta, incrementado pelo dia-a-dia dos acontecimentos no sítio.

FONTE :http://pt.wikipedia.org/wiki/Monteiro_Lobato
PROJETO : MONTEIRO LOBATO
Periodo : Março e Abril
Duração: 3 semanas
OBJETIVO:
CONHECER MONTEIRO LOBATO , UM AUTOR NACIONAL;
ALFABETIZAR POR MEIO DE TESTOS LITERARIOS;
DESENVOLVER O GOSTO PELA LEITURA DE AUTORES BRASILEIROS ;
DESENVOLVIMENTO

TEXTOS INFORMATIVOS SOBRE O AUTOR ;
PRODUÇÃO DE TEXTO, DESCREVENDO CADA PERSONAGEM;
CONFECÇÃO DE FANTOCHES ( todos os personagens , utilizando dobradura , recorte e colagem)
CAÇA-PALAVRAS , CRUZADINHAS ,ETC;
LEITURA DAS DIVERSAS OBRAS DE MONTEIRO LOBATO ;
CONFECÇÃO DE LIVRINHO , PARA CONHECER CADA PERSONAGEN DETALHADAMENTE .....
CULMINANCIA

PEÇA TEATRAL COM OS FANTOCHES DOS PERSONAGENS PARA TODAS AS TURMAS DO PERIODO MATUTINO ;
APRESENTAÇÃO DOS LIVRINHOS CONFECCIONADOS POR ELES PARA A ESCOLA;
O CRIADOR DO SÍTIO DO PICA-PAU AMARELO

O pai de Narizinho, de Pedrinho, da Tia Nastácia, da Dona Benta, do Visconde de Sabugosa e da boneca Emília, além de outros personagens de histórias infantis, contribuiu para dar um colorido especial à literatura infantil brasileira.
Estamos falando de Monteiro Lobato, nascido em Taubaté, no estado de São Paulo, em 18 de abril de 1882.
Formado em Direito, iniciou sua vida profissional como promotor público e já escrevendo para jornais. Em O Estado de São Paulo, publicou, em 1.917, vários artigos nos quais apareceu pela primeira vez o personagem Jeca Tatu, numa referência ao caipira brasileiro.
No ano seguinte, reuniu alguns deles em seu primeiro livro de contos, com o título Urupês.
Monteiro Lobato foi pioneiro no lançamento de obras infantis em nosso país, começando com A menina do narizinho arrebitado, seguida de várias outras.
Em 1.947, o escritor lançou o personagem Zé Brasil, uma versão do camponês que sofre para conseguir um pedaço de chão para cultivar.
Apesar de ter morrido em 1.948, Monteiro Lobato continua vivo até hoje por causa de suas idéias.



PERSONAGENS DO SITIO DO PICA PAU AMARELO


CUCA

É A GRANDE VILÃ DA HISTORIA, ADORA SER MÁ E NÃO ACEITA QUE OUTROS BRUXOS INVADEM SEU TERRITORIO.
CUCA E A BRUXA COM CARA E CORPO DE JACARE, VIVEM EM SUA CAVERNA, CRIANDO POÇOES E PLANEJA O TODO TEMPO INVADIR O SITIO.
COM TANTA MALDADE, AS CRIANÇAS VIVEM COM MEDO DAS LOUCURAS DA BRUXA , QUE É CAPAZ DE TUDO PARA COLOCAR AS CRIANÇAS EM PERIGO.


DONA BENTA

DONA BENTA É A DONA DO SITIO E A VOVO MAIS ADORADA DO PAÍS. E É COM SUAS DIVERSAS HISTORIAS QUE ELA ALIMENTA A CURIOSIDADE DE SEUS NETOS E DA BONECA DE PANO, EMILIA. MORA NO SITIO, MAS SABE DE TUDO QUE ACONTECE NO MUNDO, ESTA SEMPRE SE DIVERTINDO COM SUAS ESTORIAS E INVENÇOES QUE AS CRIANÇAS CONTAM.

PEDRINHO

PEDRINHO É O NETO QUERIDO DE DONA BENTA, MORA E ESTUDA NA CIDADE E É NAS FÉRIAS QUE ELE VAI PARA O SITIO. APESAR DE TER APENAS 10 ANOS, É CORAJOSO E NÃO TEM MEDO DE NADA E NEM DO SACI E AINDA DESVENDOU OS MISTERIOS DA FLORESTA. JUNTO COM SUA PRIMA NARIZINHO, PLANEJA AS GRANDES AVENTURAS PELO MUNDO DAS MARAVILHAS.

SACI

PARTE DO FOLCLORE BRASILEIRO, O SACI É UM MENINO MULATO QUE ANDA DE UMA PERNA SÓ, ELE USA UM GORRO VERMELHO, PITA UM CACHIMBO E FAZ ESTRIPULIAS NOS TERREIROS DAS FAZENDAS PARA ASSUSTAR OS ANIMAIS NO PASTO. O SACI ADORA AZUCRINAR A VIDA DE TODOS NO SITIO , PRINCIPALMENTE DE PEDRINHO , MAS DEPOIS QUE O GAROTO SALVOU O SACI DE UM REDEMOINHO ELES VIRARAM AMIGOS.




EMILIA

EMILIA, A BONECA DE PANO FEITA POR TIA ANASTACIA, ERA MUDA ATE O DIA EM QUE ENGOLIU A PILULA DA FALA INVENTADA PELO DOUTOR CARAMUJO. E FOI A PARTIR DAÍ QUE A BONECA DESEMBESTOU A FALAR SEM PARAR. FIGURA IMPORTANTE DO SITIO, EMILIA É CRITICA E MANDONA , AGE E PENSA COMO GENTE GRANDE E , POR ISSI , É ELA QUEM LIDERA A MAIORIA DAS AVENTURAS .


NARIZINHO

LUCIA É NETA DE DONA BENTA, E POR CAUSA DE SEU NARIZINHO ARREBITADO, TODOS A CHAMAM DE NARIZINHO. INTELIGENTE, MEIGA E ENCANTADORA, NARIZINHO APRONTA TODAS AO LADO DE SEU PRIMO PEDRINHO E DE SUA INSEPARAVEL BONECA DE PANO, EMILIA. CRIADA NO SITIO DE SUA AVO, NARIZINHO SEMPRE FOI INDEPENDENTE E SONHADORA.


VISCONDE DE SABUGOSA

VISCONDE É UM SABIO QUE VIVE NA BIBLIOTECA, ENTRE OS LIVROS , ESTUDANDO E PESQUISANDO SOBRE DIVERSOS ASSUNTOS .QUANDO NÃO ESTA NA BIBLIOTECA , FICA NO LABORATORIO, NO PORAO DA CASA DE DONA BENTA , E É LA QUE ELE DA MARGEM A SUA CRIATIVIDADE PARA FAZER INVENÇOES MALUCAS. EMILIA, QUE NÃO E NADA BOBA , VIVE ESCRAVIZANDO O COITADO DO VISCONDE QUE SEMPRE SE SUBMETE AS LOUCURAS DA BONECA DE PANO.


TIA ANASTACIA


TIA ANASTACIA NÃO ERA APENAS A COZINHEIRA DO SITIO, ERA TAMBEM UM MEMBRO DA FAMILIA. E NINGUEM MELHOR DO QUE ELA PARA FAZER A TAO FAMOSA ROSQUINHA D EPOLVILHO, A MELHOR QUEEXISTE NA REDONDEZA. A TURMA DO SITIO ADORA OUVIR SEUS CAUSOS COMENDO SUAS DELICIOSAS ROSQUINHAS. TIA ANASTACIA VE NO DESCONHECIDO O MAL E O PECADO E, POR ISSO, MUITAS VEZES NÃO ENTENDEM O QUE ACONTECE NO SITIO.


BOM TRABALHO A TODOS!!!!!!!!!!
...............BJOS.........
CLARA LIBE
postado por veridiana @ 18:42 0 Comentários Links para esta postagem

Lenda - Páscoa

Lenda da Páscoa


Perto da casa do Menino Jesus havia uma palmeira, nela um passarinho fizera seu ninho e pusera 3 (três) ovinhos. Todos os dias o menino Jesus, sentado na soleira da porta, olhava feliz a avezinha.

Uma bela manhã, Jesus acordou ouvindo o passarinho piar aflito. Que seria?
Aproveitando um descuido do passarinho, a raposa viera e levara os ovinhos. O Menino Jesus ficou triste e começou a chorar. Nisto passou um gato, viu Jesus chorando e perguntou:

- Por que choras Jesus?
- Tiraram os ovos do passarinho!
- Miau, miau, nada posso fazer ! E lá se foi...

Abanando a cauda, chegou um cachorrinho au...au...au...
- Por que choras, Jesus?
- Levaram os ovinhos do pobre passarinho!
- Au, Au, que pena - e foi embora...

Então, aos pulinhos, com as orelhas muito compridas, apareceu o coelhinho. Parou e perguntou:
- Por que choras, meu Jesus?
- Levaram os ovinhos do pobre passarinho!
O coelhinho abaixou uma orelha e disse:
- Não chores mais, vou procurar os ovinhos!

E pulando desapareceu. Foi logo bater na casa da raposa que apareceu furiosa:
- Que queres? Os ovos? Meus filhos já comeram e bateu a porta.

O coelhinho abaixou as orelhas muito triste. Nisto teve uma idéia. Visitou 3 passarinhos seus amigos e pediu a cada um, um ovinho para o menino Jesus não chorar mais.

Muito contente, arrumou os ovos num cestinho e levou-os ao Menino Jesus , que logo enxugou as lágrimas e exclamou:

- Só tu, coelhinho, tiveste pena de mim e do passarinho!

Pois de agora em diante como recompensa, levarás lindos ovinhos às criancinhas boas e bem comportadas e farás isso todos os anos quando chegar a Páscoa.

E foi assim, que o coelhinho ficou encarregado de distribuir ovos às crianças de todo mundo.
postado por veridiana @ 18:35 0 Comentários Links para esta postagem

Como trabalhar poesias
Como trabalhar com poesia?

• Brincar com as palavras(achar uma palavra dentro da outra)
• Reconhecer palavras que rimam
• Criar rimas
• Fazer acrósticos
• Trabalhar também o desenho (ilustrar um poema)
• Formar palavras substituindo vogais
• Explorar a diferença entre canção e poema
• Trabalhar noções do real e imaginário
• Colocar poema na ordem correta
• Montar acróstico
• Ordenação de versos
• Escrita de texto lacunado
• Criação de poema

O que a poesia nos dá?

• Ajuda a romper modos convencionais de percepção ejulgamento.
• Faz com que vejamos o mundo e as pessoas com novosolhos ou descubramos novos aspectos deles.
• Pode dar-nos uma consciência mais ampla dos nossossentimentos profundos.
• Possibilita o exercício de reconhecer-se no outro --elemento fundamental da arte.
• Discernimento do limite entre realidade e criação.
• Multiplicidade de gêneros poéticos (e textuais) -- poesiaconcreta, soneto, haicai, poema musical etc.

Assim Assado, de Eva Furnari. São Paulo, Moderna, 1991.Ilustrações da autora.Este livro da Eva Furnari faz parte de uma coleção quetraz como recurso central o jogo de palavras, cujo elementoconstitutivo é a quebra de expectativa. Como se vê nasquadrinhas abaixo:

Era uma vez...
Um elefante delicado,
Levou uma bronca
Ficou emburrado.
Era uma vez...
Uma velha coroca
Foi pro jardim,
Conversar com minhoca.
O mesmo tipo de recurso aparece em Você troca?, agoranos tercetos:
Você troca
Um mamão bichado
Por um bichão mimado?

Por serem breves, apoiados em rimas que facilitam amemorização, os livros de Furnari são indicados para criançasem fase de alfabetização.EDITORA MODERNAhttp://www.moderna.com.br/moderna/didaticos/ef1/buriti/fazendo/dicas/artigos/poesia_buriti.pdf

Achei super legal as dicas ......... bjos
Postado por Clara Libe - Carla lima às Domingo, Março 08, 2009 0 comentários
Reações:

Sábado, 7 de Março de 2009
PROJETO : PEQUENOS POETAS!!!
PROJETOS PEQUENOS POETAS

DURAÇÃO : 2 semanas
PERIODO: Março
TURMA: 3º Ano

OBJETIVOS


Conhecer a estrutura de uma poesia;
Relacionar a poesia ao som ás rimas e á repetição de palavras;
Proporcionar aos alunos o contato com as obras de diversos poetas brasileiros;
Produzir poemas ;
DESENVOLVIMENTO

Leitura
Poesias
Poemas
Pesquisas
Produção de poesias
Rimas
Origami , dobraduras
Sarau de poesia
Confecção de livro de poesias
CULMINANCIA

Apresentação dos livros de poesia
Os alunos recitarão as poesias que mais gostaram
Exposição das poesias em forma de um sarau


Vinícius de Moraes

ARCA DE NOÉ


Sete em cores, de repente
O arco-íris se desata
Na água límpida e contente
Do ribeirinho da mata.
O sol, ao véu transparente
Da chuva de ouro e de prata
Resplandece resplendente
No céu, no chão, na cascata.
E abre-se a porta da Arca
De par em par: surgem francas
A alegria e as barbas brancas
Do prudente patriarca
Noé, o inventor da uva
E que, por justo e temente
Jeová, clementemente
Salvou da praga da chuva.
Tão verde se alteia a serra
Pelas planuras vizinhas
Que diz Noé: "Boa terra
Para plantar minhas vinhas!"
E sai levando a família
A ver; enquanto, em bonança
Colorida maravilha
Brilha o arco da aliança.
Ora vai, na porta aberta
De repente, vacilante
Surge lenta, longa e incerta
Uma tromba de elefante.
E logo após, no buraco
De uma janela, aparece
Uma cara de macaco
Que espia e desaparece.
Enquanto, entre as altas vigas
Das janelinhas do sótão
Duas girafas amigas
De fora a cabeça botam.
Grita uma arara, e se escuta
De dentro um miado e um zurro
Late um cachorro em disputa
Com um gato, escouceia um burro.
A Arca desconjuntada
Parece que vai ruir
Aos pulos da bicharada
Toda querendo sair.
Vai! Não vai! Quem vai primeiro?
As aves, por mais espertas
Saem voando ligeiro
Pelas janelas abertas.
Enquanto, em grande atropelo
Junto à porta de saída
Lutam os bichos de pelo
Pela terra prometida.
"Os bosques são todos meus!"
Ruge soberbo o leão
"Também sou filho de Deus!"
Um protesta; e o tigre — "Não!"
Afinal, e não sem custo
Em longa fila, aos casais
Uns com raiva, outros com susto
Vão saindo os animais.
Os maiores vêm à frente
Trazendo a cabeça erguida
E os fracos, humildemente
Vêm atrás, como na vida.
Conduzidos por Noé
Ei-los em terra benquista
Que passam, passam até
Onde a vista não avista
Na serra o arco-íris se esvai . . .
E . . . desde que houve essa história
Quando o véu da noite cai
Na terra, e os astros em glória
Enchem o céu de seus caprichos
É doce ouvir na calada
A fala mansa dos bichos
Na terra repovoada.


A PORTA

Eu sou feita de madeira
Madeira, matéria morta
Mas não há coisa no mundo
Mais viva do que uma porta.
Eu abro devagarinho
Pra passar o menininho
Eu abro bem com cuidado
Pra passar o namorado
Eu abro bem prazenteira
Pra passar a cozinheira
Eu abro de sopetão
Pra passar o capitão.
Só não abro pra essa gente
Que diz (a mim bem me importa . . .)
Que se uma pessoa é burraÉ burra como uma porta.
Eu sou muito inteligente!
Eu fecho a frente da casa
Fecho a frente do quartel
Fecho tudo nesse mundo
Só vivo aberta no céu!

A FOCA

Quer ver a foca
Ficar feliz?É por uma bola
No seu nariz.
Quer ver a foca
Bater palminha?É dar a ela
Uma sardinha.
Quer ver a foca
Fazer uma briga?É espetar ela
Bem na barriga

O PATO

Lá vem o Pato
Pata aqui, pata acolá
La vem o Pato
Para ver o que é que há.
O Pato pateta
Pintou o caneco
Surrou a galinha
Bateu no marreco
Pulou do poleiro
No pé do cavalo
Levou um coice
Criou um galo
Comeu um pedaço
De jenipapo
Ficou engasgado
Com dor no papo
Caiu no poço
Quebrou a tigela
Tantas fez o moço
Que foi pra panela

A CASA

Era uma casa
Muito engraçada
Não tinha teto
Não tinha nada
Ninguém podia
Entrar nela não
Porque na casa
Não tinha chão
Ninguém podia
Dormir na rede
Porque na casa
Não tinha parede
Ninguém podia
Fazer pipi
Porque penico
Não tinha ali
Mas era feita
Com muito esmero
Na Rua dos Bobos
Número ZeroEra uma casa
Muito engraçada
Não tinha teto
Não tinha nada
Ninguém podia
Entrar nela não
Porque na casa
Não tinha chão
Ninguém podia
Dormir na rede
Porque na casa
Não tinha parede
Ninguém podia
Fazer pipi
Porque penico
Não tinha ali
Mas era feita
Com muito esmero
Na Rua dos Bobos
Número Zero


AS BORBOLETAS

Brancas
Azuis
Amarelas
E pretas
Brincam
Na luz
As belas
Borboletas
Borboletas brancas
São alegres e francas.
Borboletas azuis
Gostam muito de luz.
As amarelinhas
São tão bonitinhas!
E as pretas, então . . .
Oh, que escuridão!

OS GIRASSOIS

Sempre que o sol
Pinta de anil
Todo o céu
O girassol
Fica um gentil
Carrossel.
O girassol é o carrossel das abelhas.
Pretas e vermelhas
Ali ficam elas
Brincando, fedelhas
Nas pétalas amarelas.
— Vamos brincar de carrossel, pessoal?
— "Roda, roda, carrossel
Roda, roda, rodador
Vai rodando, dando mel
Vai rodando, dando flor"
— Marimbondo não pode ir que é bicho mau!
— Besouro é muito pesado!
— Borboleta tem que fingir de borboleta na
entrada!
— Dona Cigarra fica tocando seu realejo!
— "Roda, roda, carrossel
Gira, gira, girassol
Redondinho como o céu
Marelinho como o sol".
E o girassol vai girando dia afora . . .
O girassol é o carrossel das abelhasSempre que o sol
Pinta de anil
Todo o céu
O girassol
Fica um gentil
Carrossel.
O girassol é o carrossel das abelhas.
Pretas e vermelhas
Ali ficam elas
Brincando, fedelhas
Nas pétalas amarelas.
— Vamos brincar de carrossel, pessoal?
— "Roda, roda, carrossel
Roda, roda, rodador
Vai rodando, dando mel
Vai rodando, dando flor"
— Marimbondo não pode ir que é bicho mau!
— Besouro é muito pesado!
— Borboleta tem que fingir de borboleta na
entrada!
— Dona Cigarra fica tocando seu realejo!
— "Roda, roda, carrossel
Gira, gira, girassol
Redondinho como o céu
Marelinho como o sol".
E o girassol vai girando dia afora . . .
O girassol é o carrossel das abelhas


É PESSOAL LOGO POSTAREI MAIS POESIAS .....

Clara Libe ...........bjosssssssssss


Postado por Clara Libe - Carla lima às Sábado, Março 07, 2009

मुइतो LEGAL

aula: MANCHETES DE JORNAIS E REVISTAS
Aula: Manchetes de jornais e revistas


JORNAL NACIONAL (Willian Bonner): “Boa noite. Uma menina de 7 anos foi devorada por um lobo na noite de ontem”.

(Fátima Bernardes): “... mas graças à atuação de um caçador não houve uma tragédia”.

FANTÁSTICO (Glória Maria): “... que gracinha, gente, vocês não vão acreditar, mas essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo, não é mesmo...?”

BRASIL URGENTE (José Luis Datena): “... onde é que a gente vai parar, cadê as autoridades?! A menina ia para casa da avózinha a pé e sozinha! Não tem transporte público! Não tem segurança! Onde estava o secretário de segurança e os engenheiros da CET? E foi devorada viva... Sim VIVA!!! Um lobo, um lobo safado, calhorda. Põe na tela ESSE ANIMAL!! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo mau. Daqui a pouco eu volto nesse caso”.

CASSETA & PLANETA (Hélio de La Pena) “Estamos aqui na floresta encantada, onde o Lenhador Gaúcho Fulano Bussunda de Tal matou o lobo e salvou a chapéuzinho ...... – e aí seu lenhador, foi dificil matar o lobo?” (Bussunda, caracterizado de lenhador): “Sabe como é seu Casseta... quando eu mostrei o tamanho do meu machado o Lobo ficou na maior fissura, duro foi ter que aguentar o bafo de onça dele, quer dizer de Lobo...”

SUPER POP: Chapéuzinho é convidada para desfilar no programa só de lingerie vermelha (Luciana Gimenez) – “ Nossa, que corpo, hein garota?! Muito bonita mesmo, até eu no lugar do Lobo não iria deixar escapar essa menina!!”

BIG BROTHER BRASIL – (Pedro Bial): “Fala meu Lobo, quem você vai eliminar hoje?” – (Lobo): “ Hoje eu vou eliminar a Chapéuzinho Vermelho, porque ela tá de complô com o Lenhador, que eu acho ao meu ver, que estão ao nível de me eliminar e isso não está fazendo bem para o ambiente da casa”.


APRENDIZ – (Roberto Justus): “Chapéuzinho, o que você foi fazer na casa da vovózinha?” – (Chapéuzinho): “Fui levar uns doces para ela”. – (Justus): “De graça? Mas você não tinha um planejamento para isso? Acho que era o marketing mais correto? Qual seria o retorno? Que tipo de postura teve seu lider? Que providências você tomaria?”

VEJA – ‘...Fulano de Tal, 23, o lenhador que retirou Chapéuzinho Vermelho da barriga do lobo tem sido considerado um herói na região’. “O lobo estava dormindo, acho que não foi tão perigoso assim” admite ele.

CLÁUDIA – “Como chegar na casa da vovózinha sem se deixar enganar pelos lobos do caminho”.

NOVA – “Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama”

MARIE-CLAIRE: “Na cama com um lobo e minha avó”, relato de quem passou por essa experiência.

JORNAL DO BRASIL: “Floresta: Garota é atacada por lobo”. Na matéria, a gente não fica sabendo onde, nem quando, nem mais detalhes.

O GLOBO: “Retirada Viva da Barriga de um Lobo” . Na matéria teraá até mapa da região. O salvamento é mais importante que o ataque.

FOLHA DE S. PAULO: Legenda da foto: “Chapéuzinho, à direita, aperta a mão de seu salvador”. Na matéria teremos um box com um zoológo explicando os hábitos alimentares dos lobos e um imenso infográfico mostrando como Chapéuzinho foi devorada e depois salva pelo lenhador.

O ESTADO DE SÃO PAULO: “Lobo que devorou Chapéuzinho seria afiliado ao P...”

JORNAL AGORA: “Sangue e tragédia na casa da vovó”

मुइतो LEGAL

aula: MANCHETES DE JORNAIS E REVISTAS
Aula: Manchetes de jornais e revistas


JORNAL NACIONAL (Willian Bonner): “Boa noite. Uma menina de 7 anos foi devorada por um lobo na noite de ontem”.

(Fátima Bernardes): “... mas graças à atuação de um caçador não houve uma tragédia”.

FANTÁSTICO (Glória Maria): “... que gracinha, gente, vocês não vão acreditar, mas essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo, não é mesmo...?”

BRASIL URGENTE (José Luis Datena): “... onde é que a gente vai parar, cadê as autoridades?! A menina ia para casa da avózinha a pé e sozinha! Não tem transporte público! Não tem segurança! Onde estava o secretário de segurança e os engenheiros da CET? E foi devorada viva... Sim VIVA!!! Um lobo, um lobo safado, calhorda. Põe na tela ESSE ANIMAL!! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo mau. Daqui a pouco eu volto nesse caso”.

CASSETA & PLANETA (Hélio de La Pena) “Estamos aqui na floresta encantada, onde o Lenhador Gaúcho Fulano Bussunda de Tal matou o lobo e salvou a chapéuzinho ...... – e aí seu lenhador, foi dificil matar o lobo?” (Bussunda, caracterizado de lenhador): “Sabe como é seu Casseta... quando eu mostrei o tamanho do meu machado o Lobo ficou na maior fissura, duro foi ter que aguentar o bafo de onça dele, quer dizer de Lobo...”

SUPER POP: Chapéuzinho é convidada para desfilar no programa só de lingerie vermelha (Luciana Gimenez) – “ Nossa, que corpo, hein garota?! Muito bonita mesmo, até eu no lugar do Lobo não iria deixar escapar essa menina!!”

BIG BROTHER BRASIL – (Pedro Bial): “Fala meu Lobo, quem você vai eliminar hoje?” – (Lobo): “ Hoje eu vou eliminar a Chapéuzinho Vermelho, porque ela tá de complô com o Lenhador, que eu acho ao meu ver, que estão ao nível de me eliminar e isso não está fazendo bem para o ambiente da casa”.


APRENDIZ – (Roberto Justus): “Chapéuzinho, o que você foi fazer na casa da vovózinha?” – (Chapéuzinho): “Fui levar uns doces para ela”. – (Justus): “De graça? Mas você não tinha um planejamento para isso? Acho que era o marketing mais correto? Qual seria o retorno? Que tipo de postura teve seu lider? Que providências você tomaria?”

VEJA – ‘...Fulano de Tal, 23, o lenhador que retirou Chapéuzinho Vermelho da barriga do lobo tem sido considerado um herói na região’. “O lobo estava dormindo, acho que não foi tão perigoso assim” admite ele.

CLÁUDIA – “Como chegar na casa da vovózinha sem se deixar enganar pelos lobos do caminho”.

NOVA – “Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama”

MARIE-CLAIRE: “Na cama com um lobo e minha avó”, relato de quem passou por essa experiência.

JORNAL DO BRASIL: “Floresta: Garota é atacada por lobo”. Na matéria, a gente não fica sabendo onde, nem quando, nem mais detalhes.

O GLOBO: “Retirada Viva da Barriga de um Lobo” . Na matéria teraá até mapa da região. O salvamento é mais importante que o ataque.

FOLHA DE S. PAULO: Legenda da foto: “Chapéuzinho, à direita, aperta a mão de seu salvador”. Na matéria teremos um box com um zoológo explicando os hábitos alimentares dos lobos e um imenso infográfico mostrando como Chapéuzinho foi devorada e depois salva pelo lenhador.

O ESTADO DE SÃO PAULO: “Lobo que devorou Chapéuzinho seria afiliado ao P...”

JORNAL AGORA: “Sangue e tragédia na casa da vovó”

Textos

A TATURANA DESCABELADA

Era uma vez uma taturana
Bem peluda!

Parecia que estava sempre arrepiada,
Com seus pelos despenteados
E bem embaraçados.

Um dia ganhou um pente de presente.
Xi! Rimou. Será que adiantou?

Não. Não adiantou nada.
Só serviu pra taturana ficar ainda mais irritada.

E quando uma taturana se irrita,
Sai da frente
Que a coisa fica quente!

Mesmo assim, insistiu!
Foi tentar, outra vez, arrumar o penteado.
— UI! Mas que coisa! — gritou ela.
Adivinha... foi faísca pra todo lado!

Tadinha da taturana!
Continuou descabelada e ainda por cima...
com dedo queimado!

Quem manda ser tão esquentada?
Um pouquinho de paciência
faz tão bem e não custa nada!


CUCO MALUCO

Eu conheço um cuco que é meio doidão.
Quando bate uma hora, ele faz “miau”.
Quando são duas, ele faz “muu, muu”.
Às três, “au, au, au”.
Quatro horas, “óinc, óinc, óinc, óinc”.
Quando são cinco, “glu, glu, glu, glu, glu”, feito um peru.
Às seis, lá vai o cuco outra vez: “mé, mé, mé, mé, mé, me”.
E às sete? “Piu, piu, piu, piu, piu, piu, piu”... na careca do titio.
Dali a pouco, oito horas e o cuco ruge como um leão. Mas que cuco malucão!
Às nove horas são nove badaladas... imitando a macacada.
Dez horas, hora do rato: “ic, ic, ic, ic, ic, ic, ic, ic, ic, ic”.
Ê barulhinho chato!
Às onze, o cuco faz som de grilo: “cri, cri, cri, cri, cri, cri, cri, cri, cri, cri, cri... já é hora de dormir!
Meia-noite, mas que tarde! Ele até pega no sono... e também o seu dono: “z, z, z, z, z, z, z, z, z, z, z, z...” Bem baixinho, pra ninguém acordar.
Amanhã tem mais um dia, 12 horas a passar. E o cuco engraçadinho vai ter muito que imitar.
Porque as horas são as mesmas e ele gosta é de inventar

HISTORIA PRA BOI DORMIR

Lá na fazenda mora o Zé Bu, um boi folgado e muito dorminhoco.
Não quer saber de pastar, nem de nada.
Em vez de “muuu”, faz “ronc”.
Ê preguiça danada!

Seu pêlo é todo amassado, de tanto ficar deitado.
Pega no sono em qualquer hora do dia, em qualquer canto.
Dorme até em pé, por isso vive atrapalhando o caminho do resto da boiada.
— Acorda, Zé Bu!
— Olha a frente, ô molenga!
— Bi, bi! Com licença!

Um dia, só de piada, colocaram uma galinha bem gorda sentada nas costas do Zé Bu.
Todo mundo deu risada.
Que cena mais engraçada!
Um boi dormindo e uma galinha empoleirada!

Passou um tempo e a galinha botou um ovo.
Mais um tempo e um pintinho saiu lá de dentro.
Virou galo crescido e aprendeu a cantar.
— Cocoricóóóóóóóóó!
Zé Bu acordou assustado!
— Mas o que é isso? Um despertador desesperado?
— Não, senhor... Sou eu, seu afilhado! — respondeu o galinho, todo animado. Contente em ver, finalmente, o seu padrinho acordado.

Daí os dois não se largaram nunca mais.
Era só o boi cochilar... que o galo, num minutinho, já começava a cantar!

O BARQUINHO ENJOADO
Era uma vez um barquinho muito, muito infeliz.
Vivia embrulhado. Tinha enjôo do balanço do mar.
Era só começar a navegar e ele a passar mal, a marear.
Os peixinhos riam dele e, para piorar a situação, ficavam indo e vindo à sua frente, de pura molecagem, aumentando a aflição.
— Quem mandou nascer barquinho? — brincava uma gaivota.
— Mas eu não nasci assim, sua boboca! Por que não me deixaram ser árvore a vida inteira, parada num só lugar, sem este vai-e-volta, sem este vem-e-vai? — reclamava o pobrezinho
— Puxa vida... ai, ai, ai!
Seu dono, um velho pescador, nem notava o problema do coitado. Todo dia, de manhã cedo, saía atrás de peixe, sem domingo nem feriado. Não tinha folga o barco enjoado.
Mas um belo dia, tudo mudou!
Todo contente, o pescador apareceu com um barco bem novinho. Era amarelo e cor de vinho.
E o outro se aposentou.
Desde este dia, quanta alegria! Não precisa mais ir para o mar, nem marear.
Fica na areia, tomando sol numa boa, olhando de longe a pescaria.
No barco enjoado o velho escreveu “peixe fresco todo dia” para atrair a freguesia.
Esta sim era a vida que ele queria!

SUPERPAPO

Epa! Salve este texto!
E troque os símbolos pelas palavras que faltam, antes de ler.


Veja só! O que é aquilo? Um #? Um avião? Na-na-ni-na-ni-na-não! Deve ser super-herói, daqueles que podem tudo, que enfrentam qualquer vilão.
Usa máscara na cara e alguns truques da hora. Sempre chega quando chamam. Resolve e vai-se embora.
Alguns +, outros correm, uns escalam, outros somem. Cada um anda de um jeito, mas, se caem, nunca morrem!
Os heróis são como os * que viviam lá na Grécia. Um herói agüenta firme, faz de tudo peripécia.
Geralmente trata a todos com bondade e carinho. Mas coitado, que destino... ele sempre está =.
As mocinhas se derretem e por ele fazem “ohhhh!”. Os {, (Que malvados!), dele nunca sentem dó.
Que legal seria o mundo se existissem de &! Muitos deles espalhados. Cada um numa cidade.
— Seu herói, venha depressa! E atenda ao meu chamado! Tenho prova, estou com medo! Você fica do meu lado?



# - pássaro
+ - voam
* - deuses
= - sozinho
{ - bandidos
& - verdade


O TROTE

O leão estava contente e, ao mesmo tempo, chateado.
Tinha entrado na faculdade da floresta, mas não queria desmanchar seu penteado.
Um cabelo tão bonito, bem cuidado! Castanho, cheio e ondulado.
Ele sabia que existia o tal do trote nos calouros.
Os alunos mais antigos iam passar a tesoura em sua juba tão querida.
Mas que vida!
Quem já viu leão careca?
Leão sem fio de cabelo?
Quem iria reconhecê-lo?

Chegou o dia. Primeira aula.
Sua classe: terceira jaula.
Correria, pega-pega, confusão.
Chuva de farinha, tinta na cara, diversão.
Macaco pintado com maria-chiquinha.
Papagaio vestido de galinha.
Trote até no exibido do pavão!
Naquele dia não tinha aula, não.

Mas você deve estar perguntando: e o nosso amigo leão?
Aquele tal, que ia fazer Administração.
Bom, esse ficou aliviado. Tudo igual com seu penteado.
Castanho, cheio e ondulado.
A juba ali inteirinha, saindo da testa. Que festa!
Afinal, pensa bem... quem ia mexer
com o rei da floresta?


A SILABA
Falta uma sílaba, sempre a mesma, em algumas palavras desta história. Leia!

E_ uma vez um _tinho branco, bem branquinho, que não gostava de queijo.
Só gostava de _padura, _vióli e musse de ma_cujá.
Todos os outros _tos riam dele e faziam piadinhas sem graça.
Certo dia, foi a vez dele rir da ca_ dos outros.
Alguém que mo_va na casa colocou _toeiras espalhadas por toda parte! E a isca, claro, e_ um pedacinho de queijo.
Daí, como nosso amigo detestava queijo, adivinha só! Ele foi o único que sobrou pa_ contar esta história! _ _ _!


Bom feriado a todos!

JUJU NA JANELA

Juliana gostava de ficar olhando pela janela.
Gostava quando João Japonês passava, com jeito envergonhado.
Gostava de ver o jasmim cheiroso no jardim.
De ver quem entrava e saía do prédio, fazendo visita, indo comprar pão, namorando no portão...

A janela de Juju era melhor do que a tevê, acontecendo de verdade.
Sempre uma surpresa, uma emoção, uma curiosidade.
Qualquer um podia assistir: velho, moço, criança.
Era um programa sem idade.

— Juju! Vem jantar! — Chamou, um dia, a mãe.
— Já vou! — Respondeu Juliana.
E olhou mais um pouquinho. Viu a pressa de um mocinho. O porteiro tão sozinho, um pardal sair do ninho...
E daí viu chegar um caminhão de mudança.
— Epa! Minha nossa! Será um novo vizinho?
— Juliana! — Gritou a mãe. — O jantar! Já chamei!
A menina foi correndo, pensando no caminhão.
Comeu tudo rapidinho pra saber de quem era a tal da mudança.
E era mesmo de um vizinho: o Joel, tão bonitinho.
Ele tinha a idade dela. Olhou pra cima e deu tchauzinho.
Então Juju sumiu de repente, de vergonha, de sapeca.

E hoje, quem olha da janela vê os dois, o dia inteiro, de cochicho e risadinha.
E a mãe pergunta, então:
— Cadê a Juliana? Será que já fez a lição?
— Não... A Juju tá lá embaixo, namorando no portão!

CORUJAS CORUJAS

Mamãe coruja achava que seus filhotes eram os melhores do mundo. Os mais sabidos, os mais atentos, os mais bonitos.
Seus olhos eram os maiores. Seus “u-us” eram os mais afinados.
Um dia, encontrou uma outra mamãe coruja e as duas começaram uma briga danada porque cada uma queria contar mais vantagens sobre seu filhotinho.
Nisso, chegaram outras corujas que também eram mamães e a discussão ficou maior ainda.
Os papais corujas tentaram acabar com aquilo e até as vovós corujas entraram no meio da briga para separar.
— Meninas! Parem já com isso! — Falou uma das avós, de penas grisalhas. — Vocês não sabem que a coruja é o mais sábio dos animais? Onde já se viu armar uma confusão boba dessas?
Então todas arregalaram os olhos, que ficaram maiores ainda e, envergonhadas, ficaram bem quietinhas.
A vovó coruja viu sua filha ali no meio e sorriu:
— Muito bem, querida! Eu sempre digo que você é a mais sábia de todas

O RIO E O MAR

O Sr. Rio e o Sr. Mar, que todo dia se encontravam, ficavam ali, naquele chove-não-molha, contando vantagem um para o outro.
— Sabe, Mar - dizia o Rio — hoje eu passeei tanto, mas tanto, que estou até cansado! Vi uma porção de coisas lindas no caminho. Árvores sacudindo ao vento, crianças brincando e rindo, homens pescando bem sossegados...
— Que bom para você! — respondia o Mar. — Pois eu fiquei aqui mesmo, no meu lugar, sem passear. Fiquei brincando de vai-e-vem, de cambalhota, de molhar a areia... De agitar e de acalmar.
— Mas, puxa! — disse o Rio. — Será que você não se cansa de ficar a vida inteira aí parado, sem poder se mandar pra nenhum lado?
— Eu, não. — respondeu o Marzão. — Sou tão grande, tão enorme, que não posso me mexer. Mas eu nem ia querer. Conheço o mundo todo, mais lugares que você.
O Rio, mesmo assim, continuou:
— Prefiro mil vezes ser pequeno e andar por aí, rasgando o mapa. Ninguém me segura no lugar. Só mesmo os homens com aquelas barreiras, podem me represar.
— Pois é... — aproveitou o Mar. — quero ver homem pra me segurar...
Com essa, o Rio se calou, apressado para seguir seu caminho.
Já indo embora, ele gritou:
— É, Marzão, você até que tem razão. Cada um com o seu jeito... não é, não?
E o que importa é viver bem, com a vida que se tem!

ZILA A ABELHA
Numa colméia, vivia uma abelha bem velhinha chamada Zilá.
Zilá já estava até de antenas branquinhas.
De tão velhinha!
Voava baixinho, devagarinho...
E andava tão esquecida a Zilá!
Esquecia a receita do mel...
Se alguém anotasse, esquecia onde estava o papel.
Cada dia ela trazia um quitute diferente!
Saía logo cedinho e voltava toda contente.
Era gelatina.
Era iogurte.
Era chocolate quente.
Um dia a Zilá pousou numa flor de maracujá. E fez uma musse.
Quem iria reclamar?
Outro dia pousou numa flor de laranjeira. Que arteira, trouxe sorvete! Foi-se a tigela inteira!
No outro, na flor de pessegueira preparou uma geléia.
Boa idéia!
Na verdade, ninguém reclamava. A turma toda adorava!
Quando ela vinha chegando, com seu jeito sossegado, logo iam perguntando:
— O que tem hoje, Dona Zilá?
— Não me lembro, deixa eu ver... ah, sim... pudim de morango!
E a colméia inteira, que só sabia fazer mel,
achava que Dona Zilá era um presente do céu!
Recebia tratamento melhor do que a rainha.
Seu defeito, seu talento, era ser esquecidinha

O SAPINHO FEIO
Dona Sapa estava feliz da vida porque tinha acabado de nascer seu primeiro milhar de filhotes.
Todos eles eram bem feinhos como todos os sapos são.
Mas tinha um que passava da conta. Era tão feioso, mas tão ruim de se olhar, que nem os irmãos queriam papo com ele.
A mãe ficava louca da vida e dava bronca:
— Que coisa feia! O Sapôncio é irmão de vocês, gente!
— Feio é ele, mãe! Até assusta as moscas... e ninguém quer ficar sem almoço, né? — respondiam.
E a mãe ficava chateada. Queria que todos se dessem bem, como todas as mães querem.
— O que é que eu vou fazer? - pensava Dona Sapa.
Mas o Sapôncio nem ligava. Ele era mais ele.
Tinha ouvido falar no tal patinho feio que virou cisne e achava que um dia virava alguma coisa também.

Mas o tempo foi passando e ele continuava sapo.
Com cara de sapo, voz de sapo e jeito de sapo.
Acabou achando que essa história de cisne era papo furado.

Só que, um dia, olhando o seu reflexo na lagoa, Sapôncio percebeu que sua cor estava ficando diferente. Um verde claro, cada vez mais bonito, mais cintilante. Até que ficou fosforescente.
Brilhante, reluzente.

À noite, Sapôncio iluminava toda a lagoa.
E aí, os irmãos perceberam a sua beleza e o seu valor.
A mãe estava orgulhosa e feliz.
Seu filho parecia uma estrela. Uma estrela de verdade!

Quando anoitecia, todos os sapos da lagoa se reuniam em volta dele para contar histórias e cantar (coachos, claro).
Até outros bichos iam lá para ver.

Era uma coisa linda!

E, de dia, quem fosse mais esperto reparava que a luz de Sapôncio continuava a brilhar, mas só lá no fundinho dos olhos.

Se você for esperto também, vai ver que tem uma porção de gente por aí com luz dentro dos olhos, feito estrela...
Pode até ser um irmão seu.

A CIGARA E A FORMIGA
(Fast-fábula)

Eu conheço uma história, uma história muita antiga.
Ela fala da cigarra. também fala da formiga.
Resumindo rapidinho, vou direto pro final.
O esforço da formiga era mesmo uma barra!
E a cigarra parecia que vivia só de farra.
A formiga só ralava, trabalhava feito louca!
A cigarra só cantava, mas a grana era tão pouca!
As duas se ajudaram e a história acabou bem.
Precisamos de trabalho, mas de música também!

Moral da história:
Existe neste mundo quem carregue o piano,
mas também alguém que o toque
e alegre o ser humano!


CHAPEUZINHO VERMELHO E OS TRES PORQUINHOS

Certo dia seis personagens de histórias infantis fizeram uma reunião secreta.
Estavam lá, na casa de tijolos, Chapeuzinho Vermelho, a Vovozinha, o Caçador e os Três Porquinhos.
O motivo da reunião era descobrir se o lobo das duas histórias era o mesmo ou não. Se fosse, ficava mais fácil derrotar o vilão. Se bem que ele sempre acabava mal mesmo, no final das histórias!
Cada um desenhou o seu lobo num pedaço de papel. Mas, quando eles iam comparar os desenhos...
TUM! TUM! TUM!
Ouviram um barulho assustador!
— Ai, ai! O que vamos fazer? — Perguntou apavorada a Chapeuzinho Vermelho.
— Não esquenta! Ele nunca é capaz de derrubar esta casa de tijolos! — Disse um porquinho.
— Mas o malvado pode entrar pela chaminé! — lembrou o outro.
Então, o único jeito foi queimar todos os desenhos na lareira. E o lobo nem tentou entrar porque já estava cansado de queimar o bumbum na fogueira.
Também não podia se disfarçar de Vovozinha porque ela estava lá dentro (não de sua barriga, mas da casa).
Foi embora... ou foram embora, sei lá! No fim das contas, ninguém ficou sabendo se era um ou se eram dois!



ADIVINHA
Eu quero só ver
se você adivinha!
Mate a charada
Que é curta e bonitinha.

Ele mora no seu quarto,
veste roupa o dia inteiro,
Mas só tem cabeça à noite!
Quem é este companheiro?

Aqui vai uma dica:
Onze letras tem seu nome.
E é na cama que ele fica!


BOA NOTICIA

Ontem li uma notícia
E fiquei muito contente.
Vi que tudo tem um jeito,
Até o planeta da gente.

Conseguiram, eu te digo!
Homem fez a sua parte.
Não está mais em perigo
A baleia, a Jubarte.

Salve, salve a natureza!
Preservou mais uma raça.
Foi difícil, mas deu certo,
Proibindo-se a caça.

Parabéns ao ser humano
Que entendeu mais este alerta.
Viu que era um grande engano,
Acordou na hora certa!

COELHINHO
Onde foi, ó, seu coelho,
Que escondestes o meu ovo?
Toda Páscoa eu pergunto
E hoje estou aqui de novo.

Vamos lá, ó, coelhinho!
Uma pista, um conselho,
Que eu encontro até sozinho.

Mais gostoso que o presente,
Mais doce que o chocolate,
É coisa que não se sente.
É a tal da brincadeira:
Coelhinho, esconde-esconde...
É a luz da Páscoa inteira!

O PALHAÇO
E o palhaço, o que é?
É ladrão de risada!
Grandão é seu pé,
Tem gola engraçada.

Caretas eu faço
E faço bastante!
Eu sou o palhaço
E tenho ajudante.

Eu dou cambalhota,
Eu dou gargalhada.
Eu conto lorota,
Eu conto piada.

No circo eu trabalho,
Lá vivo feliz!
Vermelho e de bola
É o meu nariz.

A boca é contente,
Cabelo engraçado:
Só tem dos dois lados.
Eu nem uso pente!

Vem cá, seu maluco...
Fazer rir a gente!
Que eu quero esse mundo
Um mundo contente!

AGUA VIVA
Não sei se você viu no jornal ou na tevê sobre as águas-vivas que andaram aparecendo em praias de São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Eu mesma encontrei uma no mar de São Sebastião, litoral de São Paulo. Na verdade vi duas: uma dentro da água mesmo, pertinho de mim, e a outra já na margem, na areia. Esta segunda tinha forma de um triângulo, e daí vem o seu nome: “caravela-portuguesa”. Ela é transparente e parece um saquinho transparente cheio de água. Mas ninguém deve mexer porque, mesmo na margem, pode ainda queimar a pele da gente. Bom, aproveitei as notícias e inventei uma poesia sobre o assunto. Espero que você goste.

Água-viva

Água e fogo
Num só bicho.
Esquisito.
Água queima
Transparente,
Tão ardente.
Quem encosta
Logo sente.
Caravela,
Nome dela.
Água-viva,
O apelido.
Ela é fogo!
Sem ter sido
Nem fumaça.
Mas que água!
Mas que nada!
Só disfarce.
Que danada!
VAMOS QUE VAMOS

Um bom desejo
(eu vejo!)
É melhorar.
Se você mira,
É acertar.
Se você busca,
É encontrar.
Se você teme,
É enfrentar.

Mas tudo bobagem,
É grão de areia,
Se estou sozinho.
Pensa no mundo,
Como ele é grande!
Como se expande!
Como se encolhe!
Gente está junto
Num mesmo ninho.

Ninguém consegue
Produzir nada
Sem se juntar.
Faça o que sabe,
Faça o que gosta,
Goste de todos,
Tente ajudar.

Viu um defeito?
Uma maldade?
Só tem um jeito:
É perdoar.
Seguir em frente
E para cima!
E para dentro.
Muito confuso?
Não... peça bis!
Vamos, meu povo,
Pr’um Ano Novo
Todo FELIZ!
A CASA DAS ESTRELAS
Lá no céu tem uma casa
Muito grande, muito enorme
Do formato do luar.
Ela é toda iluminada.
É brilhante e encantada.
Mas de dia tudo some.
Você olha e não vê nada.

Quando então a noite desce
Feito um manto quase preto
Que se chama escuridão,
Aí abre uma porta
E elas surgem de montão.
Vão saindo devagar
Sem pressa pra iluminar,
De passinho em passinho,
Cada uma a seu lugar.
Toda noite a mesma coisa.
E ninguém pode faltar!
Estrela tem compromisso
Fazendo pose, fazendo charme
Sem parar de piscar.

Quando uma, então, se cansa
E não quer mais trabalhar
Vai caindo, caindo, caindo...
Num salto de arrepiar.
Ela vira estrela cadente
Pra gente fazer pedido,
Mas seu lugar no céu
Está pra sempre garantido.
Postado por Evelyn às 16.12.0
O BAILE
Bebê deu aquele baile
e chorou a noite inteira!
Bu-á! Bu-á! Bu-á! Bu-á!
Nem queria mamadeira!

De manhã pegou no sono
E dormiu bem sossegado.
Mas mamãe ficou um trapo
E papai, todo estragado.

Outra noite a mesma coisa:
Não dormiam nem na marra!
O vizinho comentava:
Bebê novo é uma barra!

Mas tadinho, não tem culpa
E nem sabe ver a hora.
Troca a noite pelo dia,
Se quer papo... ele chora!
PATOS E PATAS

ERA UMA VEZ UM PATO
QUE TINHA TRÊS PATINHAS.
DUAS ERAM DELE MESMO
OUTRA, A NAMORADINHA.

ERA UMA VEZ TRÊS PATOS
NA MESMA SITUAÇÃO.
NOVE PATAS JUNTOS TINHAM.*
ERAM MUITAS PELO CHÃO!

AO TODO, OS TAIS TRÊS PATOS
MAIS AS TRÊS NAMORADINHAS.
SE CADA UM TEM DUAS:
ISSO DÁ ......... PATINHAS.

IMAGINE ENTÃO O TANTO
DE PEGADAS ESPALHADAS!
DOZE ERAM SÓ ¼
DAS PISADAS CARIMBADAS!

FAÇO 12 VEZES 4
E DESCUBRO O TOTAL.
SÃO ...... PEGADAS!
QUAC! QUAC! GENIAL!

(Resposta: DOZE PATINHAS, 48 PEGADAS)

* Três patos têm 6 patas. Cada pato tem uma namorada = 3 namoradas. Então: 6 patas (pés) + 3 patas (namoradas) = 9

espelho é engraçado.
Ele é tudo e não é nada.
Pode ser um menino levado,
Pode ser uma bela risada.

De manhã, escova os dentes.
Lava o rosto, penteia o cabelo.
Brinca de monstro, faz careta,
Todo mundo sempre quer vê-lo.

À noite, tem cara de sono.
Se despede meio embaçado.
É difícil pra ele espelhar
Depois do banho tomado.

Às vezes, de bom humor,
Faz tão linda a cara da gente!
Mas se as coisas não vão bem...
Fica feio! Espelho não mente!
Postado por Evelyn às 3.9.07 2 comentários
Para todos os pais
A mãe estraga,
O pai conserta.
Pai só afaga
Na hora certa.

Pai é o cara
Que paga a conta,
Que mete bronca,
Que, à noite, ronca.

Pai é aquele
Que diz na lata,
Que rala e se mata
Na medida exata.

O pai reclama de tudo um pouco:
Da falta de grana,
Do telefone,
De fazer barba,
Gravata apertada,
Mulher atrasada,
Torneira mal fechada,
Luz acesa,
Tudo na mesa,
Sapato na sala.
Pai que é pai
Tem que ser mala!

Pai é pra sempre,
Pai é pra tudo.
Pai é presente,
Eternamente,
O nosso escudo
MINHA CASA SUA CASA
Não tem preço nem se compra
Uma coisa nesta vida:
O que vale mais que tudo
É uma família unida.

Irmão, gato, cachorro,
Sogra, genro, tio e tia.
Não importa quantos sejam,
Estão juntos todo dia.

Tem bagunça, tem briguinha,
Tem o pão com mortadela.
Tem conversa na cozinha
E “silêncio” na novela.

Pai, mãe, avô, avó
Formam nossa educação.
Às vezes são de sangue,
Outras vezes, coração.

Família é viver junto,
É bem mais que ser parente.
Terminando este assunto:
É quem gosta mais da gente!

LISTINHA DE COISAS BOAS
Fazer xixi quando estamos apertados.
Achar palitos premiados.
Lembrar de uma piada.
Dar uma gargalhada.
Dar um abraço apertado.
Saber que é feriado.
Ver uma foto antiga.
Ligar para uma amiga.
Dormir um sono gostoso.
O sorriso de um idoso.
Comer pipoca, vendo tevê.
Escrever isso pra você.

NO QUINTAL
MEU QUINTAL NÃO TEM PALMEIRA,
MUITO MENOS SABIÁ,
MAS, MEU DEUS!, COMO É GOSTOSO!
LÁ NÃO CANSO DE BRINCAR!

Evelyn Heine

visitas

Deus

OLHOS DO PAI




Lindos e Fofos Cartões
www.cartooes.com