lembrancinha-mãe

lembrancinha-mãe

sábado, 27 de março de 2010

sexta-feira, 26 de março de 2010

Janeiro
01
Dia da Confraternização Universal
04
Dia da Abreugrafia
Dia do Hemofílico
06
Dia da Gratidão
Dia de Reis
07
Dia da Liberdade de Culto
Dia do Leitor
09
Dia do Fico (1822)
14
Dia do Enfermo
20
Dia do Farmacêutico
21
Dia Mundial da Religião
24
Dia da Constituição
25
Dia do Carteiro
27
Dia do Orador
30
Dia da Saudade
Dia de Gandhi
31
Dia Mundial do Mágico

Fevereiro
01
Dia do Publicitário
05
Dia do Datiloscopista
06
Dia do Agente de Defesa Ambiental
07
Dia Nacional do Gráfico
10
Dia do Atleta Profissional
11
Dia do Zelador
14
Dia do Amor
16
Dia do Repórter
19
Dia do Esporte
22
Criação do IBAMA pela Lei nº 7.735 (1989)
24
Carnaval
27
Dia Nacional do Livro Didático

Março
02
Dia Nacional do Turismo
03
Dia do Meteorologista
04
Dia Mundial da Oração
07
Dia do Fuzileiro Naval
08
Dia Internacional da Mulher
10
Dia do Sogro
12
Dia Nacional do Bibliotecário
14
Dia da Poesia
15
Dia Mundial do Consumidor
17
Dia Internacional do Marítimo
19
Dia da Escola
Dia do Carpinteiro
Dia Nacional do Artesão
21
Dia Mundial da Infância
Dia Mundial da Poesia
Dia Mundial Florestal
Início do Outono
22
Dia Internacional da Água
23
Dia Mundial da Meteorologia
26
Dia do Cacau
27
Dia do Circo
Dia Mundial do Teatro

Abril
01
Dia da Abolição da Escravidão dos Índios (1680)
Dia da Mentira
02
Dia Internacional do Livro Infanto-juvenil
07
Dia da Radiopatrulha
Dia do Corretor
Dia do Jornalista
08
Dia da Natação
Dia do Correio
10
Dia da Engenharia
Sexta-feira Santa
12
Dia da Intendência do Exército Brasileiro
Dia do Obstetra
Páscoa
13
Dia do Beijo
Dia do Office-Boy
Dia dos Jovens
O Hino Nacional Brasileiro é executado pela primeira vez (1831)
14
Dia do Pan-Americano
15
Dia da Conservação do Solo
Dia do Desarmamento Infantil
Dia do Desenhista
18
Dia de Monteiro Lobato
Dia Nacional do Livro Infantil
19
Dia da primeira batalha dos Guararapes (1648)
Dia do Exército Brasileiro
Dia Nacional do Índio
21
Fundação de Brasília (1960)
Tiradentes
22
Dia da Terra
Dia do Descobrimento do Brasil
23
Dia Mundial do Livro e do Direito Autoral
24
Dia Internacional do Jovem Trabalhador
Dia Nacional da Família na Escola
26
Dia da 1ª Missa no Brasil
27
Dia do Sacerdote
28
Dia da Educação
Dia da Sogra

Maio
01
Celebração da segunda missa no Brasil (1500)
Cerimônia de posse da terra por Cabral (1500)
Dia da Literatura Brasileira
Dia do Trabalho
Dia Internacional dos Trabalhadores
02
Dia Nacional do Ex-combatente
03
Dia do Parlamento
Dia do Pau-brasil
Dia do Sertanejo
Dia do Sol
Dia Mundial da Liberdade de Imprensa
05
Dia de Rondon
Dia do Campo
Dia do Expedicionário
Dia Nacional das Comunicações
06
Dia do Cartógrafo
Dia do Taquígrafo
Dia Nacional da Matemática
07
Dia da Saúde Ocular
Dia do Oftalmologista
Dia do Silêncio
08
Dia da Cruz Vermelha
Dia do Artista Plástico
10
Dia da Cavalaria
Dia da Cozinheira
Dia do Guia de Turismo
Dia Mundial das Vocações
Dias das Mães
11
Dia das Comunicações Sociais
12
Dia da Enfermagem
Dia do Enfermeiro
Dia do Engenheiro Militar
13
Dia da Abolição da Escravatura no Brasil (1888)
Dia da Estrada de Rodagem
Dia da Fraternidade Brasileira
Dia do Automóvel
Dia do Zootecnista
14
Dia Continental do Seguro
Dia do Segurador
15
Dia do Assistente Social
Dia do Combate à Infecção Hospitalar
Dia do Gerente Bancário
Dia Internacional da Família
16
Dia do Faxineiro
Dia do Gari
17
Dia Mundial da Internet
Dia Mundial das Comunicações
Dia Mundial das Telecomunicações
18
Dia das Raças Indígenas da América
Dia do Vidreiro
Dia Internacional dos Museus
21
Dia da Língua Nacional
Dia Mundial do Desenvolvimento Cultural
22
Dia do Apicultor
Dia do Economiário
Dia Internacional das Diversidades Biológicas
23
Dia da Juventude Constitucionalista
Dia Internacional das Comunicações Sociais
24
Dia da Batalha de Tuiuti (1866)
Dia da Infantaria (Exército brasileiro)
Dia do Café
Dia do Datilógrafo
Dia do Detento
Dia do Telegrafista
Dia do Vestibulando
25
Dia da África
Dia da Costureira
Dia da Indústria
Dia do Industrial
Dia do Massagista
Dia do Trabalhador Rural
Dia Nacional da Adoção
26
Dia das Vocações Sacerdotais
Dia do Revendedor Lotérico
27
Dia da Mata Atlântica
Dia do Profissional Liberal
Dia Mundial dos Meios de Comunicação
28
Dia da Saúde
Dia do Ceramista
Dia do Gráfico
29
Dia do Estatístico
Dia do Geógrafo
Dia do Sociólogo
30
Dia da Recordação
Dia do Decorador
Dia do Geólogo
31
Dia da Juventude Luterana do Brasil
Dia do Enxadrista
Dia do(a) Comissário(a) de Bordo
Dia Mundial de Combate ao Fumo

Junho
01
Dia da Imprensa
Dia de Caxias
03
Dia do Administrador de Pessoal
04
Dia Mundial contra a Agressão Infantil
05
Dia Mundial da Ecologia e do Meio Ambiente
07
Dia da Liberdade de Imprensa
08
Dia do Citricultor
09
Dia do Pão
Dia do Porteiro
Dia do Protético
Dia do Tenista
Dia Nacional de Anchieta
10
Dia da Artilharia: Exército Brasileiro
Dia da Língua Portuguesa
Dia de Camões
Dia do Pastor
11
Corpus Christi
Dia da Marinha
Dia do Educador Sanitário
12
Dia do Correio Aéreo Nacional
Dia dos Namorados
13
Dia do Turista
14
Dia do Solista
15
Dia do Paleontólogo
16
Dia da Unidade Nacional
17
Dia da Unidade Alemã
Dia do Funcionário Público Aposentado
Dia Mundial de Luta Contra a Desertificação
18
Dia do Imigrante Japonês
Dia do Químico
20
Dia do Revendedor
21
Dia da Mídia
Dia do Intelectual
Dia do Mel
Dia do Migrante
Dia Internacional da Música
Dia Nacional do Luto
Início do Inverno
22
Dia do Orquidófilo
23
Dia do Lavrador
Dia Olímpico
Dia Universal Olímpico
24
Dia das Empresas Gráficas
Dia do Caboclo
Dia Internacional do Leite
Dia Mundial dos Discos Voadores
25
Dia do Quilo
26
Dia Internacional contra o Abuso de Drogas e o Tráfico Ilícito
27
Dia do Artista Lírico
Dia Nacional do Diabético
Dia Nacional do Progresso
Dia Nacional do Vôlei
28
Dia da Revolução Espiritual
29
Dia da Telefonista
Dia do Escritor Paulista
Dia do Papa
Dia do Pescador
Dia Nacional do Progresso
30
Dia do Caminhoneiro
Dia do Economiário

Julho
01
Dia da Vacina BCG
Dia Nacional do Sesi
02
Dia da Independência da Bahia (1823)
Dia do Bombeiro Brasileiro
Dia do Hospital
04
Dia Internacional do Cooperativismo
Morte do escritor Monteiro Lobato (1948)
06
Dia da criação do IBGE (1934)
07
Dia do Voluntário Social
08
Dia do Padeiro
Dia do Panificador
Dia Nacional do Pesquisador
09
Dia da Independência da Argentina
10
Dia da Pizza
Dia Mundial da Lei
11
Dia do Mestre de Banda
Dia do Rondonista
Dia Mundial da População
Dia Nacional dos Trabalhadores de Serviços Telefônicos
12
Dia do Engenheiro Florestal
13
Dia do Engenheiro Sanitarista
Dia do Rock
Dia dos Cantores e dos Compositores Sertanejos
14
Dia da Liberdade de Pensamento
Dia do Doente
Dia do Propagandista
Dia Mundial do Hospital
15
Dia do Propagandista de Laboratório
Dia Internacional do Homem
Dia Nacional dos Clubes
16
Dia do Comerciante
17
Dia da Proteção às Florestas
18
Dia Mundial dos Veteranos de Guerra
Dia Nacional do Trovador
19
Dia da Caridade
Dia do Futebol
20
Dia do Amigo
Dia do Revendedor de Petróleo e Derivados
Dia Internacional da Amizade
Dia Pan-Americano do Engenheiro
23
Dia do Guarda Rodoviário
25
Dia do Colono
Dia do Escritor
Dia do Motorista
Dia dos Viajantes
26
Dia dos Avós
27
Dia do Despachante
Dia do Motociclista
Dia do Pediatra
Dia Nacional da Prevenção de acidentes de Trabalho
28
Dia do Agricultor
31
Dia de Congadas em Araguari (MG)

Agosto
01
Dia do Cerealista
Dia do Selo Postal Brasileiro
03
Dia da batalha do monte das Tabocas (Guerra Holandesa), 1645
Dia do Capoeirista
Dia do Pároco
Dia do Tintureiro
04
Dia da Campanha Educativa de Combate ao Câncer
Dia do Padre
05
Dia Nacional da Saúde
09
Dia dos Pais
Dia Internacional dos Povos Indígenas
11
Dia da Consciência Nacional
Dia da Pintura
Dia do "Pendura"
Dia do Advogado
Dia do Direito
Dia do Estudante
Dia do Garçom
Dia do Hoteleiro
Dia do Magistrado
Dia Internacional da Logosofia
12
Dia dos Escoteiros do Mar
Dia Nacional das Artes
13
Dia do Economista
Dia do Pensamento
Dia dos Encarcerados
14
Dia da Unidade Humana
Dia do Controle da Poluição Industrial
15
Dia da Informática
Dia dos Solteiros
17
Dia do Patrimônio Histórico
18
Dia da Independência do Afeganistão
Dia do Movimento Bandeirante
19
Dia do nascimento de Joaquim Nabuco (1849)
Dia Mundial da Fotografia
Dia Mundial do Fotógrafo
20
Dia da condecoração de Maria Quitéria (1823)
21
Dia da Habitação
22
Dia do Folclore
Dia do Religioso
Dia do Supervisor de Educação
23
Dia da Injustiça
Dia do Artista
24
Dia da Infância
25
Dia do Catequista
Dia do Feirante
Dia do Soldado
26
Dia Internacional da Igualdade Feminina
27
Dia do Corretor de Imóveis
Dia do Psicólogo
28
Dia da Avicultura
Dia das Obras Pontificiais
Dia Nacional do Voluntariado
Dia Nacional dos Bancários
29
Dia Nacional de Combate ao Fumo
31
Dia do Nutricionista

Setembro
01
Dia do Caixeiro Viajante
Dia do Professor de Educação Física
02
Dia do Florista
Dia do Repórter Fotográfico
03
Dia da Polícia Militar
Dia das Organizações Populares
Dia do Biólogo
Dia do Guarda Civil
05
Dia da Amazônia
Dia da Juventude
Dia do Oficial de Farmácia
06
Dia do Alfaiate
Dia do Barbeiro
Dia do Cabeleireiro
Dia do Hino Nacional
07
Independência do Brasil
08
Dia da Dedicação
Dia da Pátria de Andorra
Dia Internacional da Alfabetização
09
Dia do Administrador de Empresas
Dia do Técnico de Administração
Dia do Veterinário
10
Dia Nacional da Seresta
12
Dia do Operador de Rastreamento
Dia Nacional da Recreação
13
Dia do Agrônomo
14
Dia da Cruz
Dia do Frevo
16
Dia Internacional para a Preservação da Camada de Ozônio
17
Dia da Compreensão Mundial
Dia Nacional do Cego
18
Dia da publicação da quinta constituição da república (1946)
Dia da Televisão
Dia do Perdão
Dia dos Símbolos Nacionais
19
Dia da Escola Bíblica
Dia do Teatro
20
Dia do Gaúcho
Dia Mundial da Limpeza de Praias
21
Dia da Agricultura
Dia da Árvore
Dia do Fazendeiro
Dia do Radialista
Dia Internacional da Paz
Dia Nacional do Portador de Deficiência
22
Dia da Banana
Dia da Defesa da Fauna
Dia da Juventude no Brasil
Dia do Contador
Dia do Técnico Agropecuário
23
Inicio da Primavera
24
Dia do Soldador
Dia Mundial do Coração
25
Dia do Rádio
Dia Nacional do Trânsito
26
Dia Internacional das Relações Públicas
27
Dia da Música Popular Brasileira
Dia do Cantor
Dia do Encanador
Dia Mundial do Turismo
Dia Nacional do Idoso
28
Dia da Lei do Ventre Livre
Dia da Lei dos Sexagenários (1885)
29
Dia do Anunciante
Dia do Petróleo
Dia do Policial
30
Dia da Bíblia
Dia da Navegação
Dia da Secretária
Dia do Diário Oficial
Dia do Jornaleiro
Dia do Tuberculoso
Dia Mundial do Tradutor

Outubro
01
Dia do Representante Comercial
Dia do Vereador
Dia Internacional do Idoso
Dia Mundial do Vendedor
02
Dia Nacional do Hábitat
03
Dia da Reunificação da Alemanha
Dia das Abelhas
Dia do Latino-americano
Dia Pan-americano do Dentista
04
Dia da Natureza
Dia do Lobinho
Dia Internacional do Poeta
Dia Mundial dos Animais
Dia Universal da Anistia
05
Dia da Ave
Dia do Bóia-fria
Dia Internacional dos Professores
Dia Mundial da Habitação
Dia Universal da Criança
07
Dia das Congadas em Minas Gerais
Dia do Compositor Brasileiro
Dia do Prefeito
Dia Internacional pela Prevenção das Catástrofes Naturais
08
Dia do Direito à Vida
Dia do Nordestino
09
Dia do Atletismo
Dia Mundial do Correio
11
Dia do Deficiente Físico
12
Dia da Cirurgia Infantil
Dia da Criança
Dia da Hispanidade
Dia da Raça
Dia do Basquete
Dia do Cão
Dia do Descobrimento da América
Dia do Mar
Dia Nacional do Engenheiro Agrônomo
Nossa Senhora Aparecida
13
Dia da Terapia Ocupacional
Dia da Vida
Dia do Fisioterapeuta
14
Dia Nacional da Pecuária
15
Dia da Educação Nacional
Dia da Normalista
Dia do Educador Ambiental
Dia do Professor
16
Dia da Ciência
Dia da Tecnologia
Dia do Anestesiologista
Dia do Instrutor de Auto-escola
Dia Mundial da Alimentação
17
Dia da Indústria Aeronáutica Brasileira
Dia do Eletricista
Dia do Orientador
Dia Internacional da Eliminação da Pobreza
Dia Nacional da Vacinação
18
Dia Continental do Corretor de Seguros
Dia do Desarmamento Infantil
Dia do Estivador
Dia do Médico
Dia do Pensamento Infantil
Dia do Pintor
19
Dia da Juventude Missionária
Dia do Guarda-noturno
20
Dia da Comunidade
Dia do Arquivista
Dia Internacional do Controlador de Vôo
21
Dia do Contato Publicitário
22
Dia do Pára-quedista
23
Dia da Aviação Brasileira
Dia do Aviador
Dia do Aviador da Força Aérea Brasileira
Dia do primeiro vôo em avião por Alberto Santos Dumont, em Paris (1906)
24
Dia das Nações Unidas
Dia Internacional das Missões
Dia Mundial do Desenvolvimento
25
Dia da Construção Civil
Dia da Democracia
Dia da Saúde Dentária
Dia do Cirurgião-dentista
Dia do Sapateiro
Dia Internacional contra a Exploração da Mulher
26
Dia do Trabalhador da Construção Civil
27
Dia Mundial de Oração pela Paz
28
Dia do Funcionário Público
29
Dia da Universidade Católica
Dia Nacional do Livro
30
Dia do Balconista
Dia do Comerciário
Dia do Material Bélico
31
Dia da Dona de Casa
Dia das Bruxas
Dia do Ferroviário
Dia Mundial da Poupança
Dia Mundial do Comissário de Vôo

Novembro
02
Finados
03
Dia do Direito de Voto para Mulheres
04
Dia do Escoteiro do Brasil
Dia do Inventor
05
Dia do Cinema Brasileiro
Dia do Designer
Dia do Escrivão de Polícia
Dia do Técnico Agrícola
Dia do Técnico em Eletrônica
Dia Nacional da Cultura
Dia Nacional do Radioamador
07
Dia da Ação Católica
08
Dia do Radiologista
Dia Mundial do Urbanismo
09
Dia do Manequim
Dia Nacional do Hoteleiro
10
Dia da Indústria Automobilística
Dia do Trigo
11
Dia da Independência de Angola
Dia do Armistício
Dia do Diretor de Escola
12
Dia do Supermercado
14
Dia dos Bandeirantes
Dia Nacional da Alfabetização
15
Dia do Esporte Amador
Dia do Joalheiro
Proclamação da República
16
Dia do Não Fumar
Dia Internacional da Tolerância
17
Dia da Criatividade
Dia do Tribunal de Contas
Dia Internacional do Estudante
19
Dia da Bandeira Nacional
Dia Internacional do Xadrez
20
Dia da Industrialização da África
Dia da morte de Zumbi (1695)
Dia da Proclamação dos Direitos da Criança (ONU)
Dia do Auditor
Dia do Biomédico
Dia do Profissional Liberal Universitário
Dia Nacional da Consciência Negra
21
Dia Mundial da Televisão
Dia Nacional da Homeopatia
22
Dia da Liberdade
Dia da Música
Dia do Músico
25
Dia Internacional do Doador de Sangue
26
Dia Nacional de Ação de Graças
27
Dia do Técnico de Segurança do Trabalho
Dia Mundial da Luta Contra o Câncer
28
Dia da Independência da Albânia
Dia do Soldado Desconhecido
30
Dia do Estatuto da Terra
Dia do Síndico
Dia do Teólogo

Dezembro
01
Dia do Casal
Dia do Imigrante
Dia do Numismata
Dia do tratado de Santo Idelfonso (1777)
Dia Mundial da Luta Contra a AIDS
02
Dia da Astronomia
Dia do Samba
Dia do Sambista
Dia Nacional do Relações Públicas
Dia Pan-Americano da Saúde
03
Dia Internacional dos Deficientes Físicos
04
Dia do Orientador Educacional
Dia do Pedicuro
Dia do Trabalhador em Minas de Carvão
Dia Internacional da Câmara Júnior
Dia Mundial da Propaganda
05
Dia da Cruz Vermelha Brasileira
Dia Internacional dos Voluntários para o Desenvolvimento Econômico e Social
08
Dia da Justiça
Dia do Cronista Esportivo
Dia Nacional da Família
09
Dia do Cronista
Dia do Fonoaudiólogo
10
Dia do Palhaço
Dia Universal dos Direitos Humanos
11
Dia do Agrimensor
Dia do Arquiteto
Dia do Engenheiro
Dia do Evangelho
Dia do Tango
13
Dia do Cego
Dia do Lapidador
Dia do Marinheiro
Dia do Pedreiro
Dia Nacional do Ótico
14
Dia do Engenheiro de Pesca
Dia do Ministério Público
15
Dia do Esperanto
Dia do Jardineiro
16
Dia do Reservista
Dia do Teatro Amador
19
Dia do Paraná
20
Dia da Bondade
Dia do Mecânico
21
Dia do Atleta
Dia dos Artistas Profissionais
Início do Verão
23
Dia do Vizinho
24
Dia do Órfão
Dia Universal do Perdão
25
Natal
26
Dia da Lembrança
28
Dia da Marinha Mercante
Dia dos Salva-Vidas
31
Dia da corrida de São Silvestre
Dia da Esperança
Dia das Devoluções

Arte com pregador

quinta-feira, 25 de março de 2010

दिया दो INDIO

Historiadores afirmam que antes da chegada dos europeus à América havia aproximadamente 100 milhões de índios no continente. Só em território brasileiro, esse número chegava 5 milhões de nativos, aproximadamente. Estes índios brasileiros estavam divididos em tribos, de acordo com o tronco lingüístico ao qual pertenciam: tupi-guaranis (região do litoral), macro-jê ou tapuias (região do Planalto Central), aruaques (Amazônia) e caraíbas (Amazônia).
Atualmente, calcula-se que apenas 400 mil índios ocupam o território brasileiro, principalmente em reservas indígenas demarcadas e protegidas pelo governo. São cerca de 200 etnias indígenas e 170 línguas. Porém, muitas delas não vivem mais como antes da chegada dos portugueses. O contato com o homem branco fez com que muitas tribos perdessem sua identidade cultural.
A sociedade indígena na época da chegada dos portugueses.
O primeiro contato entre índios e portugueses em 1500 foi de muita estranheza para ambas as partes. As duas culturas eram muito diferentes e pertenciam a mundos completamente distintos. Sabemos muito sobre os índios que viviam naquela época, graças a Carta de Pero Vaz de Caminha (escrivão da expedição de Pedro Álvares Cabral ) e também aos documentos deixados pelos padres jesuítas.
Os indígenas que habitavam o Brasil em 1500 viviam da caça, da pesca e da agricultura de milho, amendoim, feijão, abóbora, bata-doce e principalmente mandioca. Esta agricultura era praticada de forma bem rudimentar, pois utilizavam a técnica da coivara (derrubada de mata e queimada para limpar o solo para o plantio).Os índios domesticavam animais de pequeno porte como, por exemplo, porco do mato e capivara. Não conheciam o cavalo, o boi e a galinha. Na Carta de Caminha é relatado que os índios se espantaram ao entrar em contato pela primeira vez com uma galinha.
As tribos indígenas possuíam uma relação baseada em regras sociais, políticas e religiosas. O contato entre as tribos acontecia em momentos de guerras, casamentos, cerimônias de enterro e também no momento de estabelecer alianças contra um inimigo comum.
Os índios faziam objetos utilizando as matérias-primas da natureza. Vale lembrar que índio respeita muito o meio ambiente, retirando dele somente o necessário para a sua sobrevivência. Desta madeira, construíam canoas, arcos e flechas e suas habitações (oca). A palha era utilizada para fazer cestos, esteiras, redes e outros objetos. A cerâmica também era muito utilizada para fazer potes, panelas e utensílios domésticos em geral. Penas e peles de animais serviam para fazer roupas ou enfeites para as cerimônias das tribos. O urucum era muito usado para fazer pinturas no corpo.

A organização social dos índios
Entre os indígenas não há classes sociais como a do homem branco. Todos têm os mesmo direitos e recebem o mesmo tratamento. A terra, por exemplo, pertence a todos e quando um índio caça, costuma dividir com os habitantes de sua tribo. Apenas os instrumentos de trabalho (machado, arcos, flechas, arpões) são de propriedade individual. O trabalho na tribo é realizado por todos, porém possui uma divisão por sexo e idade. As mulheres são responsáveis pela comida, crianças, colheita e plantio. Já os homens da tribo ficam encarregados do trabalho mais pesado: caça, pesca, guerra e derrubada das árvores.
Duas figuras importantes na organização das tribos são o pajé e o cacique. O pajé é o sacerdote da tribo, pois conhece todos os rituais e recebe as mensagens dos deuses. Ele também é o curandeiro, pois conhece todos os chás e ervas para curar doenças. Ele que faz o ritual da pajelança, onde evoca os deuses da floresta e dos ancestrais para ajudar na cura. O cacique, também importante na vida tribal, faz o papel de chefe, pois organiza e orienta os índios.
A educação indígena é bem interessante. Os pequenos índios, conhecidos como curumins, aprender desde pequenos e de forma prática. Costumam observar o que os adultos fazem e vão treinando desde cedo. Quando o pai vai caçar, costuma levar o indiozinho junto para que este aprender. Portanto a educação indígena é bem pratica e vinculada a realidade da vida da tribo indígena. Quando atinge os 13 os 14 anos, o jovem passa por um teste e uma cerimônia para ingressar na vida adulta.

Os contatos entre indígenas e portugueses
Como dissemos, os primeiros contatos foram de estranheza e de certa admiração e respeito. Caminha relata a troca de sinais, presentes e informações. Quando os portugueses começam a explorar o pau-brasil das matas, começam a escravizar muitos indígenas ou a utilizar o escambo. Davam espelhos, apitos, colares e chocalhos para os indígenas em troca de seu trabalho. O canto que se segue foi muito prejudicial aos povos indígenas. Interessados nas terras, os portugueses usaram a violência contra os índios. Para tomar as terras, chegavam a matar os nativos ou até mesmo transmitir doenças a eles para dizimar tribos e tomar as terras. Esse comportamento violento seguiu-se por séculos, resultando no pequenos número de índios que temos hoje.A visão que o europeu tinha a respeito dos índios era eurocêntrica. Os portugueses achavam-se superiores aos indígenas e, portanto, deveriam dominá-los e colocá-los ao seu serviço. A cultura indígena era considera pelo europeu como sendo inferior e grosseira. Dentro desta visão, acreditavam que sua função era convertê-los ao cristianismo e fazer os índios seguirem a cultura européia. Foi assim, que aos poucos, os índios foram perdendo sua cultura e também sua identidade.

Religião Indígena
Cada nação indígena possuía crenças e rituais religiosos diferenciados. Porém, todas as tribos acreditavam nas forças da natureza e nos espíritos dos antepassados. Para estes deuses e espíritos, faziam rituais, cerimônias e festas. O pajé era o responsável por transmitir estes conhecimentos aos habitantes da tribo. Algumas tribos chegavam a enterrar o corpo dos índios em grandes vasos de cerâmica, onde além do cadáver ficavam os objetos pessoais. Isto mostra que estas tribos acreditavam numa vida após a morte.
Principais etnias indígenas brasileiras na atualidade e população estimada
Ticuna (35.000), Guarani (30.000), Caiagangue (25.000), Macuxi (20.000), Terena (16.000), Guajajara (14.000), Xavante (12.000), Ianomâmi (12.000), Pataxó (9.700), Potiguara (7.700). Fonte: Funai (Fundação Nacional do Índio).

Características da alimentação indígena


Podemos dizer que a alimentação indígena é natural, pois eles consomem alimentos retirados diretamente da natureza. Desta forma, conseguem obter alimentos isentos de agrotóxicos ou de outros produtos químicos. A alimentação indígena é saudável e rica em vitaminas, sais minerais e outros nutrientes.
Como os índios não consumem produtos industrializados, ficam livres dos efeitos nocivos dos conservantes, corantes artificiais, realçadores de sabor e outros aditivos artificiais usados na indústria alimentícia.
Somada a uma intensa atividade física, a alimentação indígena proporciona aos integrantes da tribo uma vida saudável. Logo, podemos observar nas aldeias isoladas (sem contatos com o homem branco), indivíduos fortes, saudáveis e felizes. Obesidade, estresse, depressão e outros males encontrados facilmente nas grandes cidades passam longe das tribos.
Numa aldeia indígena, o preparo dos alimentos é de responsabilidade das mulheres. Aos homens, cabe a função de caçar e pescar.
Principais alimentos consumidos pelos índios brasileiros:
- Frutas- Verduras- Legumes- Raízes- Carne de animais caçados na floresta (capivara, porco-do-mato, macaco, etc).- Peixes- Cereais- Castanhas
Pratos típicos da culinária indígena:
- Tapioca (espécie de pão fino feito com fécula de mandioca)- Pirão (caldo grosso feito de farinha de mandioca e caldo de peixe).- Pipoca- Beiju (espécie de bolo de formato enrolado feito com massa de farinha de mandioca fina)

* Este texto refere-se aos índios que não possuem muito contato com os homens brancos e que ainda seguem sua cultura. Infelizmente, muitas tribos deixaram de lado a alimentação saudável quando entraram em contato com o homem branco.


(Texto retirado do site http://www.suapesquisa.com)
PROJETINHO MONTEIRO LOBATO!!!!

MONTEIRO LOBATO
José Bento Renato Monteiro Lobato (Taubaté, 18 de abril de 1882 — São Paulo, 4 de julho[1] de 1948) foi um dos mais influentes escritores brasileiros do século XX. Foi o "precursor" da literatura infantil brasileira e ficou popularmente conhecido pelo conjunto educativo, bem como divertido, de sua obra de livros infantis, o que seria aproximadamente metade da sua produção literária. A outra metade, consistindo de inúmeros e deliciosos contos (geralmente sobre temas brasileiros), artigos, críticas, prefácios, um livro sobre a importância do petróleo e do ferro e um único romance, O Presidente Negro, que não alcançou a mesma popularidade que suas obras para crianças.
Livros infantis

A maioria de seus livros infantis se passavam no Sítio do Picapau Amarelo, um sítio no interior do Brasil, tendo como uma das personagens a senhora dona da fazenda Dona Benta, seus netos Narizinho e Pedrinho e a empregada Tia Nastácia. Esses personagens foram complementados por entidades criadas ou animadas pela imaginação das crianças na história: a boneca irreverente Emília e o aristocrático boneco de sabugo de milho Visconde de Sabugosa, a vaca Mocha, o burro Conselheiro, o porco Rabicó e o rinoceronte Quindim.
No entanto, as aventuras na maioria se passam em outros lugares: ou num mundo de fantasia inventados pelas crianças, ou em histórias contadas por Dona Benta no começo da noite. Esses três universos são interligados para a histórias e lendas contadas pela avó naturalmente se tornarem cenário para o faz-de-conta, incrementado pelo dia-a-dia dos acontecimentos no sítio.

FONTE :http://pt.wikipedia.org/wiki/Monteiro_Lobato
PROJETO : MONTEIRO LOBATO
Periodo : Março e Abril
Duração: 3 semanas
OBJETIVO:
CONHECER MONTEIRO LOBATO , UM AUTOR NACIONAL;
ALFABETIZAR POR MEIO DE TESTOS LITERARIOS;
DESENVOLVER O GOSTO PELA LEITURA DE AUTORES BRASILEIROS ;
DESENVOLVIMENTO

TEXTOS INFORMATIVOS SOBRE O AUTOR ;
PRODUÇÃO DE TEXTO, DESCREVENDO CADA PERSONAGEM;
CONFECÇÃO DE FANTOCHES ( todos os personagens , utilizando dobradura , recorte e colagem)
CAÇA-PALAVRAS , CRUZADINHAS ,ETC;
LEITURA DAS DIVERSAS OBRAS DE MONTEIRO LOBATO ;
CONFECÇÃO DE LIVRINHO , PARA CONHECER CADA PERSONAGEN DETALHADAMENTE .....
CULMINANCIA

PEÇA TEATRAL COM OS FANTOCHES DOS PERSONAGENS PARA TODAS AS TURMAS DO PERIODO MATUTINO ;
APRESENTAÇÃO DOS LIVRINHOS CONFECCIONADOS POR ELES PARA A ESCOLA;
O CRIADOR DO SÍTIO DO PICA-PAU AMARELO

O pai de Narizinho, de Pedrinho, da Tia Nastácia, da Dona Benta, do Visconde de Sabugosa e da boneca Emília, além de outros personagens de histórias infantis, contribuiu para dar um colorido especial à literatura infantil brasileira.
Estamos falando de Monteiro Lobato, nascido em Taubaté, no estado de São Paulo, em 18 de abril de 1882.
Formado em Direito, iniciou sua vida profissional como promotor público e já escrevendo para jornais. Em O Estado de São Paulo, publicou, em 1.917, vários artigos nos quais apareceu pela primeira vez o personagem Jeca Tatu, numa referência ao caipira brasileiro.
No ano seguinte, reuniu alguns deles em seu primeiro livro de contos, com o título Urupês.
Monteiro Lobato foi pioneiro no lançamento de obras infantis em nosso país, começando com A menina do narizinho arrebitado, seguida de várias outras.
Em 1.947, o escritor lançou o personagem Zé Brasil, uma versão do camponês que sofre para conseguir um pedaço de chão para cultivar.
Apesar de ter morrido em 1.948, Monteiro Lobato continua vivo até hoje por causa de suas idéias.



PERSONAGENS DO SITIO DO PICA PAU AMARELO


CUCA

É A GRANDE VILÃ DA HISTORIA, ADORA SER MÁ E NÃO ACEITA QUE OUTROS BRUXOS INVADEM SEU TERRITORIO.
CUCA E A BRUXA COM CARA E CORPO DE JACARE, VIVEM EM SUA CAVERNA, CRIANDO POÇOES E PLANEJA O TODO TEMPO INVADIR O SITIO.
COM TANTA MALDADE, AS CRIANÇAS VIVEM COM MEDO DAS LOUCURAS DA BRUXA , QUE É CAPAZ DE TUDO PARA COLOCAR AS CRIANÇAS EM PERIGO.


DONA BENTA

DONA BENTA É A DONA DO SITIO E A VOVO MAIS ADORADA DO PAÍS. E É COM SUAS DIVERSAS HISTORIAS QUE ELA ALIMENTA A CURIOSIDADE DE SEUS NETOS E DA BONECA DE PANO, EMILIA. MORA NO SITIO, MAS SABE DE TUDO QUE ACONTECE NO MUNDO, ESTA SEMPRE SE DIVERTINDO COM SUAS ESTORIAS E INVENÇOES QUE AS CRIANÇAS CONTAM.

PEDRINHO

PEDRINHO É O NETO QUERIDO DE DONA BENTA, MORA E ESTUDA NA CIDADE E É NAS FÉRIAS QUE ELE VAI PARA O SITIO. APESAR DE TER APENAS 10 ANOS, É CORAJOSO E NÃO TEM MEDO DE NADA E NEM DO SACI E AINDA DESVENDOU OS MISTERIOS DA FLORESTA. JUNTO COM SUA PRIMA NARIZINHO, PLANEJA AS GRANDES AVENTURAS PELO MUNDO DAS MARAVILHAS.

SACI

PARTE DO FOLCLORE BRASILEIRO, O SACI É UM MENINO MULATO QUE ANDA DE UMA PERNA SÓ, ELE USA UM GORRO VERMELHO, PITA UM CACHIMBO E FAZ ESTRIPULIAS NOS TERREIROS DAS FAZENDAS PARA ASSUSTAR OS ANIMAIS NO PASTO. O SACI ADORA AZUCRINAR A VIDA DE TODOS NO SITIO , PRINCIPALMENTE DE PEDRINHO , MAS DEPOIS QUE O GAROTO SALVOU O SACI DE UM REDEMOINHO ELES VIRARAM AMIGOS.




EMILIA

EMILIA, A BONECA DE PANO FEITA POR TIA ANASTACIA, ERA MUDA ATE O DIA EM QUE ENGOLIU A PILULA DA FALA INVENTADA PELO DOUTOR CARAMUJO. E FOI A PARTIR DAÍ QUE A BONECA DESEMBESTOU A FALAR SEM PARAR. FIGURA IMPORTANTE DO SITIO, EMILIA É CRITICA E MANDONA , AGE E PENSA COMO GENTE GRANDE E , POR ISSI , É ELA QUEM LIDERA A MAIORIA DAS AVENTURAS .


NARIZINHO

LUCIA É NETA DE DONA BENTA, E POR CAUSA DE SEU NARIZINHO ARREBITADO, TODOS A CHAMAM DE NARIZINHO. INTELIGENTE, MEIGA E ENCANTADORA, NARIZINHO APRONTA TODAS AO LADO DE SEU PRIMO PEDRINHO E DE SUA INSEPARAVEL BONECA DE PANO, EMILIA. CRIADA NO SITIO DE SUA AVO, NARIZINHO SEMPRE FOI INDEPENDENTE E SONHADORA.


VISCONDE DE SABUGOSA

VISCONDE É UM SABIO QUE VIVE NA BIBLIOTECA, ENTRE OS LIVROS , ESTUDANDO E PESQUISANDO SOBRE DIVERSOS ASSUNTOS .QUANDO NÃO ESTA NA BIBLIOTECA , FICA NO LABORATORIO, NO PORAO DA CASA DE DONA BENTA , E É LA QUE ELE DA MARGEM A SUA CRIATIVIDADE PARA FAZER INVENÇOES MALUCAS. EMILIA, QUE NÃO E NADA BOBA , VIVE ESCRAVIZANDO O COITADO DO VISCONDE QUE SEMPRE SE SUBMETE AS LOUCURAS DA BONECA DE PANO.


TIA ANASTACIA


TIA ANASTACIA NÃO ERA APENAS A COZINHEIRA DO SITIO, ERA TAMBEM UM MEMBRO DA FAMILIA. E NINGUEM MELHOR DO QUE ELA PARA FAZER A TAO FAMOSA ROSQUINHA D EPOLVILHO, A MELHOR QUEEXISTE NA REDONDEZA. A TURMA DO SITIO ADORA OUVIR SEUS CAUSOS COMENDO SUAS DELICIOSAS ROSQUINHAS. TIA ANASTACIA VE NO DESCONHECIDO O MAL E O PECADO E, POR ISSO, MUITAS VEZES NÃO ENTENDEM O QUE ACONTECE NO SITIO.


BOM TRABALHO A TODOS!!!!!!!!!!
...............BJOS.........
CLARA LIBE

terça-feira, 23 de março de 2010

LEIA O TEXTO COM ENTUSIASMO


TEXTO 1

continho

Era uma vez um menino triste, magro e barrigudinho. Na soalheira danada de meio-dia, ele estava sentado na poeira do caminho, imaginando bobagem, quando passou um vigário a cavalo.
_Você, aí, menino, para onde vai essa estrada?
_Ela não vai não: nós é que vamos nela.
_Engraçadinho duma figa! Como você se chama?
_Eu não me chamo, não, os outros é que me chamam de Zé.

Mendes Campos

,

* Há traço de humor no trecho:

) ‘‘Era uma vez um menino triste, magro’’.(L.1)

(b) ‘‘ele estava sentado na poeira do caminho’’.(L.1-2)

(c) ‘‘quando passou um vigário’’.(L.2)

(d) ‘‘Ela não vai não: nós é que vamos nela’’.(L.4)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------
O Homem de Meia-idade
(Lenda chinesa)


Havia outrora um homem de meia-idade que tinha duas esposas. Um dia, indo visitar a mais jovem, esta lhe disse:

¬--Eu sou moça e você é velho; não gosto de morar com você. Vá habitar com sua esposa mais velha.

Para poder ficar, o homem arrancou da cabeça os cabelos brancos. Mas , quando foi visitar a esposa mais velha , esta lhe disse, por sua vez:


--E sou velha e tenho a cabeça branca; arranque, pois, os cabelos pretos que tem.


Então o homem arrancou os cabelos pretos para ficar de cabeça branca. Como repetisse sem tréguas tal procedimento, a cabeça tornou-se-l inteiramente calva. A essa altura, ambas as esposas acharam-no horrível e ambas o abandonaram.
 idéia central do texto é:

(A) o problema da calvície masculina.
(B) a impossibilidade de agradar a todos.
(C) a vaidade dos homens.
(D) a insegurança na meia-idade.

O que Disse o Passarinho TEXTO 2

Um passarinho me contou
 elefante brigou
com a formiga só porque
enquanto dançavam (segundo ele)
ela pisou no pé dele!
Um passarinho me contou
que o jacaré se engasgou
e teve de cuspi-lo inteirinho
quando tentou engolir,
imaginem só, um porco-espinho!
Um passarinho me contou
que o namoro do tatu e a tartaruga
deu num casamento de fazer dó:
cada qual ficou morando em sua casca
em vez de morar numa casca só.

Um passarinho me contou
que a ostra é muito fechada,
que a cobra é muito enrolada
que a arara é uma cabeça oca,
e que o leão-marinho e a foca...
Xô xô, passarinho,chega de fofoca!

A pontuação usada no final do verso ‘‘e que o leão-marinho e a foca...’’(L.20) sugere que o passarinho:

(a) está cansado. 2

(b) está confuso.

(c) não tem mais fofocas para contar.

(d) ainda tem fofocas para contar.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Carta TEXTO 3

Cecília:

Era tão bom quando eu morava lá na roça. A casa tinha um quintal com milhões de coisas, tinha até um galinheiro. Eu conversava com tudo quanto era galinha, cachorro, gato, lagartixa, eu conversava com tanta gente que você nem imagina, Cecília. Tinha árvore para subir, rio passando no fundo, tinha cada esconderijo tão bom que a gente podia ficar escondida a vida toda que ninguém achava. Meu pai e minha mãe viviam rindo, andavam de mão dada, era uma coisa muito legal da gente ver. Agora,ta tudo diferente:eles vivem de cara fechada ,brigam à toa,discutem por qualquer coisa.E depois,toca todo mundo a ficar emburrando.Outro dia eu perguntei:o que é que ta acontecendo que toda hora tem briga? Sabe o que é que eles falaram?Que não era assunto para criança. E o pior é que esse negócio de emburramento em casa me dá uma aflição danada. Eu queria tanto achar um jeito de não dar mais bola pra briga e pra cara amarrada. Será que você não acha um jeito pra mim?


Um beijo da Raquel.

(...) LYGIA BOJUNGA NUNES

Em ‘‘Agora ta tudo diferente:(L.7),a palavra destacada é um exemplo de linguagem:


(a) ensinada na escola.

(b) estudada nas gramáticas.
c) encontrada nos livros técnicos.

(d) empregadas com colegas.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------

TEXTO 4

Como opera a máfia que transformou o Brasil num dos campeões da fraude de medicamentos
um dos piores crimes que se podem cometer. As vítimas são homens, mulheres e crianças doentes –presas fáceis, capturadas na esperança de recuperar a saúde perdida . A máfia dos medicamentos falsos é mais cruel do que as quadrilhas de narcotraficantes.Quando alguém decide cheirar cocaína, tem absoluta consciência do que coloca no corpo adentro. Às vítimas dos que falsificam remédios não é dada oportunidade de escolha .Para o doente,o remédio é compulsório. Ou ele toma o que o médico lhe receitou ou passará a correr risco de piorar ou até morrer. Nunca como hoje os brasileiros entraram numa farmácia com tanta reserva.

Pastore, Karina

Segundo a autora, ‘‘um dos piores crimes que se pode cometer” é:


(a) a venda de narcóticos.

(b) a falsificação dos remédios.

(c) a receita de remédios falsos.

d) a venda abusiva de remédios.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------
TEXTO 5

Realidade com Muita Fantasia

Nascido em 1937, o gaúcho Moacyr Scliar é um homem versátil: médico e escritor, igualmente atuante nas duas áreas. Dono de uma obra literária extensa, é ainda um biógrafo de mão cheia e colaborador assíduo de diversos jornais brasileiros. Seus livros para jovens e adultos são sucesso de público e de crítica e alguns já foram publicados no exterior.

Muito atento às situações-limite que desagradam à vida humana, Scliar combina em seus textos indícios de uma realidade bastante concreta com cenas absolutamente fantásticas. A convivência entre realismo e fantasia é harmoniosa e dela nascem os desfechos surpreendentes das histórias.

Em sua obra, são freqüentes questões de identidade judaica,do cotidiano da medicina e do mundo da mídia, como, por exemplo acontece no conto‘‘O dia em que matamos James Cagney’’.

A expressão sublinhada em ‘‘ é ainda um biógrafo de mão cheia’’(L.2) e (L.3) significa que Scliar é:
(a) crítica e detalhista.

(b) criativo e inconseqüente

(c) habilidoso e talentoso.

(d) inteligente e ultrapassado.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------

TEXTO 6

O Homem que Entrou pelo Cano

Abriu a torneira e entrou pelo cano. A princípio incomodava-o a estreiteza do tubo. Depois se acostumou. E,com a água,foi seguindo. Andou quilômetros. Aqui e ali ouvia barulhos familiares. Vez ou outra um desvio, era uma seção que terminava em torneira.

Vários dias foi rodando, até que tudo se tornou monótono. O cano por dentro não era interessante.

No primeiro desvio, entrou. Vozes de mulher. Uma criança brincava. Então percebeu que as engrenagens giravam e caiu numa pia. À sua volta era branco imenso, uma água límpida. E a cara da menina aparecia redonda e grande, a olhá-lo interessada. Ela gritou: “Mamãe,tem um homem dentro da pia’’.

Não obteve resposta. Esperou, tudo quieto. A menina se cansou, abriu o tampão e ele desceu pelo esgoto.

Brandão, Ignácio de Loyola

O conto cria uma expectativa no leitor pela situação incomum criada pelo enredo. O resultado não foi o esperado porque:

(a) a menina agiu como se fosse um fato normal.

(b) o homem demonstrou pouco interesse em sair do cano.

(c) as engrenagens da tabulação não funcionaram.


(d) a mãe não manifestou nenhum interesse pelo fato.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
TEXTO 7

O Homem de Meia-idade

(Lenda chinesa)

Havia outrora um homem de meia-idade que tinha duas esposas. Um dia, indo visitar a mais jovem, esta lhe disse:

¬--Eu sou moça e você é velho; não gosto de morar com você. Vá hábitar com sua esposa mais velha.

Para poder ficar, o homem arrancou da cabeça os cabelos brancos. Mas , quando foi visitar a esposa mais velha , esta lhe disse, por sua vez:
-E sou velha e tenho a cabeça branca; arranque, pois, os cabelos pretos que tem.

Então o homem arrancou os cabelos pretos para ficar de cabeça branca. Como repetisse sem tréguas tal procedimento, a cabeça tornou-se-lhe inteiramente calva. A essa altura, ambas as esposas acharam-no horrível e ambas o abandonaram.
A idéia central do texto é:

(A) o problema da calvície masculina.

(B) a impossibilidade de agradar a todos.

(C) a vaidade dos homens.

(D) a insegurança na meia-idade.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A função da arte TEXTO 8

Diego não conhecia o mar. O pai, Santiago kovadloff, levou-o para que descobrisse o mar.

Viajaram para o sul.

Ele, o mar,estava do outro lado das dunas altas, esperando.

Quando o menino e o pai enfim alcançaram aquelas alturas de areias, depois de muito caminhar, o mar estava na frente de seus olhos.E foi tanta a imensidão do mar, e tanto fulgor, que o menino ficou mudo de beleza.

E quando finalmente conseguiu falar, tremendo, gaguejando. Pediu ao pai:
---Me ajuda a olhar!

O menino ficou tremendo, gaguejando por que:
(a) a viagem foi longa.

(b) as dunas eram muito altas.

(c) o mar era imenso e belo.

(d) o pai não o ajudou a ver o mar.

As enchentes de minha infância

TEXTO 9

Sim, nossa casa era muito bonita, verde, com uma tamareira junto à varanda, mas eu invejava os que moravam do outro lado da rua, onde as casas dão fundos para o rio. Como a casa dos Martins, como a casa dos leão, que depois foi dos Medeiros, depois de nossa tia, casa com varanda fresquinha dando para o rio.

Quando começavam as chuvas a gente ia toda manhã lá no quintal deles ver até onde chegara a enchente. As águas barrentas subiam primeiro até a altura da cerca dos fundos, depois às bananeiras, vinham subindo o quintal, entravam pelo porão. Mais de uma vez, no meio da noite, o volume do rio cresceu tanto que a família defronte teve medo.

Então vinham todos dormir em nossa casa.Isso para nós era uma festa, aquela faina de arrumar camas nas salas, aquela intimidade improvisada e alegre. Parecia que as pessoas ficavam todas contentes, riam muito; como se fazia café e se tomava café tarde da noite! E às vezes o rio atravessava a rua entrava pelo nosso porão, e me lembro que nós, os meninos, torcíamos para ele subir mais e mais.Sim, éramos a favor da enchente, ficávamos tristes de manhãzinha quando, mal saltando da cama, correndo para ver que o rio baixara um palmo – aquilo era uma traição, uma fraqueza do Itapemirim. Às vezes chegava alguém a cavalo, dizia que lá, para cima do Castelo, tinha caído chuva muito, anunciava águas cabeceiras, então dormíamos sonhando que a enchente ia crescer, queríamos sempre que aquela fosse a maior de todas as enchentes.

A expressão que revela uma opinião sobre o fato ‘‘...vinham todos dormir em nossa casa’’(L.10), é:

(a) ‘‘Ás vezes chegava alguém a cavalo...”

b) ‘‘E às vezes o rio atravessava a rua...’’


(c) ‘‘e se tomava café tarde da noite!’’

(d) ‘‘Isso para nós era uma festa...’’

----------------------------------------------------------------------------------------------------------
A antiga Roma ressurge em cada detalhe


TEXTO 10

Dos 20.000 habitantes de Pompéia, só dois escaparam da fulminante erupção do vulcão Vesúvio em 28 de agosto de 79d.C.Varrida do mapa em horas,a cidade só foi encontrada em 1748,debaixo de 6 metros de cinzas.Por ironia, a catástrofe salvou Pompéia dos conquistadores e preservou-a para o futuro, como uma jóia arqueológica. Para quem já esteve lá, a visita é inesquecível.

A profusão de dados sobre a cidade permitiu ao Laboratório de Realidade Virtual Avançada da Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, criar imagens minuciosas, com apoio do instituto Americano de Arqueologia. Milhares de detalhes arquitetônicos tornaram-se visíveis.As imagens até que nas casas dos ricos se comia pão branco, de farinha de trigo, enquanto na dos pobres comia-se pão preto de centeio.

Outro megaprojeto, para ser concluído em 2020, da Universidade da Califórnia, trata da restauração virtual da história de Roma, desde os primeiros habitantes, no século XV a.C, até a decadência, no século V.Guias turísticos virtuais conduzirão o visitante por paisagens animadas por figurantes. Edifícios, monumentos, ruas, aquedutos, termas e sepulturas desfilarão, interativamente. Será possível percorrer vinte séculos da história num dia. E ver com os próprios olhos tudo aquilo que a literatura esforçou-se para contar com palavras.

A finalidade principal do texto é:

(a) convencer

(b) relatar

(c) descrever

d) informar


---------------------------------------------------------------------------------------------------------
Texto I

TEXTO 11
Telenovelas empobrecem o país

Parece que não há vida inteligente na telenovela brasileira. O que se assiste todos os dias às 6,7 ou 8 horas da noite é algo muito pior do que os mais baratos filmes‘‘B’’americanos.Os diálogos são péssimos.As atuações, sofríveis.Três minutos em frente a qualquer novela são capazes de me deixar absolutamente entediado -- nada pode ser mais previsível.

Texto II
Novela é cultura

Veja -- Novela de televisão aliena?

Maria Aparecida -- Claro que não. Considerar a telenovela um produto cultural alienada é um tremendo preconceito da universidade. Quem acha que novela aliena está na verdade chamando o povo de débil mental. Bobagem imaginar que alguém é induzido a pensar que a vida é um mar de rosas só por causa de um enredo açucarado. A telenovela brasileira é um produto cultural de alta qualidade técnica, e alguma delas são verdadeira obras de arte.

Com relação ao tema‘‘telenovela’’:

(a) nos textos I e II, encontra-se a mesma opinião sobre a telenovela.

(b) no texto I, compara-se a qualidade das novelas aos melhores filmes americanos.

c) no texto II, algumas telenovelas brasileiras são consideradas obras de arte.

(d) no texto II, a telenovela é considerada uma bobagem.
A floresta do contrário


TEXTO 12
Todas as florestas existem antes dos homens.

Elas estão lá e então o homem chega, vai destruindo, derruba as árvores, começa a construir prédios, casas, tudo com muito tijolo e concreto. E poluição também.
Mas nesta floresta aconteceu o contrário. O que havia antes era uma cidade dos homens, dessas bem poluídas, feia, suja, meio neurótica.
Então as árvores foram chegando, ocupando novamente o espaço, conseguiram expulsar toda aquela sujeita e se instalaram no lugar.
É o que se poderia chamar de vingança da natureza – foi assim que terminou seu relato o amigo beija-flor.
Por isso ele estava tão feliz, beijocando todas as flores – aliás, um colibri bem assanhado, passava flor por ali, ele já sapecava um beijão.

Agora o Nan havia entendido por que uma ou outra árvore tinha parede por dentro, e ele achou bem melhor assim.
Algumas árvores chegaram a engolir casas inteiras.
Era um lugar muito bonito, gostoso de ficar. Só que o Nan não podia, precisava partir sem demora. foi se despedir do colibri, mas ele já estava namorando apertado a uma outra florzinha, era melhor não atrapalhar.
No trecho ‘‘elas estão lá e então o homem chega,...’’(L.2), a palavra destacada refere-se:

(a) flores.

(b) casas.

(c) florestas.

(d) árvores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
O cabo e o soldado

TEXTO 13

Um cabo e um soldado de serviço dobravam a esquina, quando perceberam
que a multidão fechada em círculo observava em algo. O cabo foi logo verificar do que se tratava.

Não conseguindo ver nada, disse, pedindo passagem:

__Eu sou irmão da vítima.

Todos olharam e logo o deixaram passar.

Quando chegou ao centro da multidão, notou que ali estava um burro que tinha acabado de ser atropelado e, sem graça, gaguejou dizendo ao soldado:
__Ora essa, o parente é seu.

Revista seleções. Rir é o melhor remédio.

No texto, o traço de humor está no fato de

(a) o cabo e um soldado terem dobrado a esquina.
b) o cabo ter ido verificar do que se tratava.
(c) todos terem olhado para o cabo.
(d) ter sido um burro a vítima

sábado, 20 de março de 2010

segunda-feira, 15 de março de 2010

CIRCO
























































Circo 27/3 Dia do circo

No centro do picadeiro, o apresentador anuncia: respeitável público, com muito riso e alegria, o espetáculo vai começar! E, diante do olhar atento da platéia, mágicos, palhaços, contorcionistas, dançarinos, malabaristas, trapezistas e muitos outros artistas iniciam suas apresentações.
Assim é o circo em qualquer lugar do mundo: um local de diversão e encantamento. Por isso mesmo, no Brasil existe um dia especial para homenageá-lo: 27 de março. Foi nessa data que, em 1897, nasceu o palhaço Piolin. Com sua cara pintada e colarinho alto, fazia todos rirem. No circo brasileiro o palhaço sempre foi a principal atração. Porém, a platéia também vibra com os números com trapezistas e animais ferozes.
O circo é uma armação em forma de círculo, coberta de lona, que é montada e desmontada cada vez que chega e parte de uma cidade. Assim, os artistas circenses estão sempre viajando para levar seu espetáculo mundo afora. Quem ainda não foi ao circo não sabe o que está perdendo!
Fonte:
http://www.ibge.gov.br/7a12/voce_sabia/datas/data.php?id_data=17

Aniversário de palhaço
Faísca era um palhaço muito engraçado que vivia em um circo da cidade.
Ele fazia muitas palhaçadas para divertir a criançada: virava cambalhota, equilibrava argolas e sabia mágicas também.
Ele tinha muitos amigos, além do público, é claro. O engolidor de espadas, o mágico, o domador de leões, a bailarina, o homem do algodão-doce, o pipoqueiro. Todos gostavam do palhaço Faísca e de suas palhaçadas.
Quando o domingo chegou, o mágico trouxe a boa notícia: era dia de aniversário no circo. Era o aniversário do palhaço Faísca! Todos ficaram animados e começaram a combinar uma festa-surpresa para ele. Então ficou acertado que durante o espetáculo daquela tarde eles iriam comemorar. Quando Faísca entrou no picadeiro, a criançada logo começou a gritar:
- Palhaço Faísca pula, rola e pisca! Palhaço Faísca pula, rola e pisca!
E o palhaço começou seu show: subiu feito foguete na tromba do elefante, pulou na tina de água, rolou na bacia de farinha e engoliu uma régua inteirinha! Virou cambalhota no ar, rodopiou no meio do picadeiro, dançou rock de guarda-chuva e assustou o pipoqueiro. Soltou fogo pela boca, imitando um dragão, equilibrou 20 pratos, 15 copos e 2 maçãs com uma só mão!
A garotada ria a valer. Faísca era muito legal. Faísca era sensacional!
De repente, os tambores começaram a rufar. A garotada se calou. O que iria acontecer? Foi aí que o domador de leões, a bailarina, o mágico, o engolidor de espadas, o homem do algodão doce e pipoqueiro entraram no picadeiro com seus presentes. Atrás deles, via-se um enorme bolo de chocolate com velas acesas. E quando a turma começou a cantar "Parabéns a você", Faísca começou a chorar de emoção.
Chorou tanto que suas lágrimas de palhaço inundaram o picadeiro. Daí, os balões coloridos começaram a cair sobre o público. Eram verdes, azuis, amarelos e vermelhos. Faísca não perdeu tempo com o choro e resolveu fazer palhaçada: com um grande alfinete começou a estourá-los. Foi uma farra geral. Que aniversário sensacional!
Flávia Muniz

ATIVIDADE:
Após a leitura do conto Aniversário de palhaço

1. Organizar um painel com os nomes dos diferentes artistas do Circo, escritos em letra maiúscula de imprensa: trapezistas, malabaristas, mágicos, palhaços, amestradores de animais, etc. Esclarecer o tipo de trabalho desses profissionais e informar que atualmente a tendência dos circos e não mais utilizar animais como atração, em respeito às necessidades e a natureza dos bichos.
2. Organizar a confecção das personagens da história, utilizando material de sucata: separe algumas garrafas plásticas de 1 litro, papel espelho, papel laminado, restos de lã, cola, bolinhas de papel crepom, canetas hidrográficas e outros materiais. Convide os alunos a criar as personagens da história: o palhaço Faísca, o domador de leões, a bailarina. Os alunos podem trabalhar em grupos ou em duplas. Depois de prontas, as turmas poderão brincar de boliche com as personagens, ou dramatizar a história ou simular a festa do palhaço Faísca - nesse caso sugira que cada um desenhe um presente para dar ao palhacinho.
· Pedir aos alunos que escolham ser um dos amigos do palhaço Faísca e desenhem em uma folha de papel o presente que dariam a ele.
Expor os desenhos na sala ao lado de um resumo da história - que pode ser elaborada coletivamente, tendo o professor como escriba.
Extraído do blog
cybelemeyer.blogspot.com

Palhaços
Quando o circo chegou ao Brasil

No Brasil, a história do circo está muito ligada à trajetória dos ciganos em nossa terra, uma vez que, na Europa do século dezoito, eles eram perseguidos. Aqui, andando de cidade em cidade e mais à vontade em suas tendas, aproveitavam as festas religiosas para exibirem sua destreza com os cavalos e seu talento ilusionista. Procuravam adaptar suas apresentações ao gosto do público de cada localidade e o que não agradava era imediatamente tirado do programa. Mas o circo com suas características itinerantes aparece no Brasil no final do século XIX. Instalando-se nas periferias das cidades, visava às classes populares e tinha no palhaço o seu principal personagem. Do sucesso dessa figura dependia, geralmente, o sucesso do circo. O palhaço brasileiro, por sua vez, adquiriu características próprias. Ao contrário do europeu, que se comunicava mais pela mímica, o brasileiro era falante, malandro, conquistador e possuía dons musicais: cantava ou tocava instrumentos.

O palhaço Um dos destaques do circo é o palhaço. Alegria das crianças, vimos que o teatro de comédia na Grécia foi o que originou a atividade. Ainda no circo de Astley, o palhaço era um soldado vindo do campo; por isso, a palavra em inglês para palhaço é clown, o mesmo que caipira. No espetáculo, o palhaço não sabia montar, caía do cavalo, subia de costas, passava por baixo do animal. Como fez muito sucesso, o número ganhou novas situações.
No Brasil o palhaço tem características diferentes, sendo mais falador, malandro, tocador de violão e com outro tipo de humor. Um exemplo é o palhaço Carequinha, nascido em 1915 e criado no circo. Virou personalidade nacional depois de ser o primeiro circense a trabalhar na televisão. Criou os programas de auditório na TV Tupi, trabalhou em circos no exterior e fez mais de 26 discos infantis.
No dia da discussão da Lei do Circo na Câmara, alguns palhaços (no bom sentido) compareceram à reunião. Um deles é José Wilson Leite, que nasceu no circo, mas depois abriu uma escola, que segundo ele mesmo disse, “deu a possibilidade da arte circense para outras pessoas e parou com esse negócio de que o circo é um segredo passado somente de pai para filho”.
Mestre de outros palhaços, José Leite disse que a palhaçada é um dos números mais difíceis de ensinar. “É um curso de interpretação. Se o palhaço não encenar, ele nunca será bom”, afirma. A primeira coisa que o palhaço aprende a fazer, segundo José, é levar tapa e cair. Mas ele afirma que no treinamento os futuros artistas passam por coisas ridículas. Ele só não revela quais!
Fonte:
cybelemeyer.blogspot.com






























visitas

Deus

OLHOS DO PAI




Lindos e Fofos Cartões
www.cartooes.com